dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     22/07/2014            
 
 
    

Segundo o produtor, cliente da Bigma, um animal de 16,5@ estaria ainda magro ou renderia pouco em termos de carcaça. Sendo assim, pela sua observação, as análises de relação de troca acabariam por subestimar os resultados para os compradores de bezerros e terminadores de boi gordo. Faz sentido!

De fato, com base em seu questionamento, uma rápida olhada nos abates de diversas fazendas acompanhadas pela Bigma permitiu concluir que é uma raridade ver animais machos sendo abatidos abaixo das 17@.

Na verdade, não encontramos animais abatidos com menos de 17@ numa análise de cinco anos, com dados das diversas fazendas componentes de nosso banco de dados. O menor peso encontrado foi o de um lote de semi-confinamento abatido com 17,2@ em 2006.

É fato que clientes de uma empresa privada - ou mesmo de várias empresas - não podem ser usados como referência para concluir que haja uma tendência de mercado. Portanto buscamos embasar os dados pela pesquisa trimestral do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Nessa pesquisa, o IBGE publica o balanço dos animais abatidos e os pesos totais das carcaças registrados nos estabelecimentos fiscalizados.

Observe, na figura 1, a evolução mensal do peso médio de abate de machos no período de 1997 a 2010. 

Para ver o gráfico sobre a evolução do peso médio, em arrobas, das carcaças de bovinos machos abatidos entre janeiro de 1997 e março de 2010 clique aqui.

Note que o gráfico começa com o peso médio de um boi gordo em torno das 16,5@, peso este que vem aumentando consistentemente ao longo dos anos.

Atualmente, o peso médio do boi gordo abatido se mantém acima das 17,75@. O último registro de peso médio abaixo das 17@ foi em outubro de 2005. Mesmo assim, a média ficou em 16,97@ por carcaça. De janeiro a março de 2010 – últimos dados divulgados pelo IBGE – a carcaça média pesou 17,97@, 1,18% a mais do que as 17,76@ registradas no mesmo período de 2009.

Portanto não restam dúvidas de que o peso de abate está aumentando gradualmente. O boi gordo está sendo abatido, na média nacional, em torno das 18@, o que equivale a 1,5 arroba acima do peso tradicionalmente usado nas comparações.

É preciso considerar que o momento do abate não é definido apenas pela balança. Há uma análise visual com relação ao acabamento, condição corporal e gordura do animal. Por isso, em termos práticos, os animais vêm sendo abatidos cada vez mais pesados. Mesmo atingindo o peso de balança, o pecuarista percebe que há mais “espaço” para colocar massa. E assim é feito na prática.

Ainda assim, vale ressaltar que essa observação não altera as conclusões econômicas realizadas com base na troca do boi gordo de 16,5@. Para analisar indicadores, é preciso estabelecer critérios. Por isso, seja 16,5@ ou 18@, o comportamento analisado sobre a capacidade de compra do produtor será o mesmo. O número pode diferir, mas a comparação permanecerá a mesma. Nessas análises, o que importa é a comparação.

Porém, no dia a dia das fazendas o pecuarista precisa levar em consideração a realidade de sua relação de troca. Só assim adotará decisões adequadas com relação aos momentos favoráveis ou desfavoráveis de compra de bezerros.

Na figura 2 foi realizada uma comparação entre a relação de troca com base nas 16,5@ e outra com base no peso médio de abate, segundo o IBGE. O peso médio dos meses seguintes a março de 2010 foi estimado aplicando-se o acréscimo de 1,18% sobre o mesmo período de 2009. Observe os resultados.

Para ver o gráfico sobre a relação de troca de um boi gordo de 16,5@ e seguindo o peso médio de abate, segundo os dados do IBGE. Bezerros comprados com a venda de 1 boi gordo clique aqui.

Pelo comportamento ilustrado na figura, confirma-se que não há diferença alguma em termos de tendências e conclusões econômicas para efeitos de análise. Mas as diferenças administrativas dentro de uma propriedade rural são grandes. Em setembro de 2010, por exemplo, estamos considerando uma troca de 2,20 pela metodologia tradicional, contra uma troca de 2,42 pelo critério baseado no peso da carcaça, pesquisados pelo IBGE.

Voltando ao caso daquele produtor que incentivou a realização desta análise, o peso médio de abate em sua propriedade é acima de 21@ para animais que passam pelo confinamento. Portanto, são 3 arrobas a mais do que as 18@ segundo os dados do IBGE. Note que o peso mínimo de abate dos animais confinados é 27% acima das 16,5@ usadas como padrão para um boi gordo.

Ao ler isso, é provável que venha na cabeça de muita gente aquelas fazendas com bois de quatro a cinco anos, com porte de touros. Mas não é bem assim. O caso em questão é de uma empresa que adota estratégias de suplementação, confinamento e mantém um completo programa sanitário na propriedade. Lotes de 21,5@ em 2010 foram abatidos com 26 meses de idade, passando por pastejo intensivo, suplementação e confinamento.

Não foram raras as ocasiões em que este produtor foi criticado pelo peso de seus animais ao abate. Claro que essas críticas não vieram dos frigoríficos – a não ser no caso de compradores que imaginaram se tratar de animais muito erados – e nem de quem conhecia a fazenda.
Essa observação toda vai ainda de encontro com uma ideia que tem sido difundida pela Nutron Alimentos. Em diversas palestras e artigos, os técnicos da Nutron analisam a viabilidade de identificar pontos ótimos econômicos para o abate de animais confinados. Dependendo dos animais, tais pontos podem ser com pesos mais leve, em torno das 17@, ou mais pesados acima das 20@.

O raciocínio é relativamente simples. Se a relação de troca vem piorando ao comprador, é natural que seja interessante vender bois mais pesados. Na grande maioria dos casos, os bezerros são negociados na “perna” (sem pesagem), enquanto o boi é negociado no peso morto, na balança. Além da questão da relação de troca, os animais zebus bem nutridos crescem mais que os europeus, abrindo possibilidade de colocar mais peso em uma só carcaça.

E, por fim, há tecnologia disponível, e economicamente eficaz, para levar este animal a uma carcaça mais pesada. Se é possível e viável, porque não fazer?

Voltando mais

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Portal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Elzo Carreri - elzocarreri@hotmail.com
05/01/2012 - 16:57
A tÝtulo de curiosidade:
Uma propriedade com capacidade para 220 animais (boi corte) com cria, recria e engorda, sem cofinamento.
Qual seria o lucro final lÝquido ao ano?

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Sua Propriedade - Artigos já Publicados

Bigma Consultoria
Boi sobe 6,5% em julho
02/08/2011

Bigma Consultoria
Competitividade do agro não é só o câmbio
30/06/2011

Bigma Consultoria
Agro e ambiente são inimigos?
24/05/2011

Bigma Consultoria
Confinamento custará 46% mais em 2011
23/03/2011

Gradual Investimentos
Liquidação de contratos futuros: tipos e características
15/02/2011

Bigma
Contribuições do Plantio Direto
10/02/2011

Gradual Investimentos
Estoque virtual
06/01/2011

Bigma Consultoria
Boi: um olhar para a última década e para as perspectivas
03/01/2011

Gradual Investimentos
Efeitos La Niña, safra 2010/11
22/11/2010

Bigma Consultoria
Arroba do boi em alta? O que fazer?
04/11/2010

Gradual Investimentos
Mercado de Opções Agrícolas: sua melhor forma de proteção
13/10/2010

Bigma Consultoria
Produção de Leite em São Paulo: por que perde espaço?
07/10/2010

Gradual Investimentos
Influência do clima nas cotações das bolsas: oportunidades
21/09/2010

Gradual Investimentos
Hedge de preços utilizando Mercados Futuros
13/08/2010

Bigma Consultoria
Margens dos produtores de leite em queda
02/07/2010

Bigma Consultoria
Rebanho brasileiro e perspectivas
14/06/2010

Bigma Consultoria
Os avanços da pecuária de corte
19/05/2010

Bigma Consultoria
Cuidado com a alta dos preços
26/04/2010

Bigma Consultoria
Gestão através de indicadores internos
08/04/2010

Bigma Consultoria
O boi, a água e uma oportunidade
26/02/2010

Bigma Consultoria
Rumo à competitividade
28/01/2010

Senac
Sistema para gestão do espaço rural e avaliação da sustentabilidade através de indicadores
09/10/2009

Embrapa
Análise e melhoria de processo: avaliação dos impactos econômicos, sociais e ambientais de tecnologias da Embrapa Pecuária Sudeste
04/09/2009

Embrapa
O modelo pictórico, apresentado em três figuras: situação, reflexão e soluções
04/09/2009

Embrapa
Desempenho econômico de horta agroecológica em comunidade rural do Semi-Árido
02/09/2009

Embrapa
Princípios básicos para a produção econômica de leite
01/09/2009

Embrapa
Desempenho em confinamento e custos de produção do bovino jovem
01/09/2009

Embrapa
Estrutura dos contratos de integração na suinocultora de Santa Catarina
31/08/2009

Embrapa
Transação entre suinocultor e agroindústria em Santa Catarina
31/08/2009

Conteúdos Relacionados à: Agronegócio
Palavras-chave

 
22/07/2014
11º Conafe - Congresso Nacional de Pesquisa de Feijão
Londrina - PR
29/07/2014
40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul e o Seminário Técnico de Soja
Pelotas - RS
29/07/2014
Seminário Regional de Formação de uma Rede de Multiplicadores em Desenvolvimento Rural Sustentável e Adequação Ambiental das Propriedades Rurais da Agricultura Familiar
Belo Horizonte - MG
30/07/2014
V Simpósio de Resistência a Produtos Fitossanitarios
Rio Verde - GO
01/08/2014
AGRIFAM 2014 - Feira da Agricultura Familiar
Lençóis Paulista - SP
04/08/2014
13º Congresso Brasileiro do Agronegócio (CBA)
São Paulo - SP
12/08/2014
14° Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha
Bonito - MS
12/08/2014
VI Congresso Brasileiro de Mamona
Fortaleza - CE
17/08/2014
47º Congresso Brasileiro de Fitopatologia
Londrina - PR
19/08/2014
Simpósio Latino Americano de Canola - SLAC
Passo Fundo - RS
26/08/2014
12º CICAM - Congresso de Iniciação Científica em Ciências Agrárias, Biológicas e Ambientais
São Paulo - SP
07/10/2014
IV Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno
Brasília - DF
04/11/2014
XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste
Natal - RN
24/11/2014
V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental
Belo Horizonte - MG
05/05/2015
IV SIGERA - Simpósio Internacional sobre Gerenciamento de Resíduos Agropecuários e Agroindustriais
Rio de Janeiro - RJ

25/07/2014
Curso teórico e demonstrativo em Agricultura Orgânica - Módulo I
Indaiatuba e Serra Negra - SP
31/07/2014
3º Curso Intensivo sobre Gramados Esportivos
Rio de Janeiro - RJ
12/08/2014
Curso de Manejo Integrado de Pragas de Grãos e Sementes Armazenadas
Londrina - PR
14/08/2014
IV Workshop Controle de Carrapatos
Nova Odessa - SP
30/08/2014
Curso teórico e demonstrativo em Agricultura Orgânica - Módulo II
Indaiatuba e Serra Negra - SP
27/09/2014
Curso teórico e demonstrativo em Agricultura Orgânica - Módulo III
Indaiatuba e Serra Negra - SP

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada