dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     25/02/2017            
 
 
    
Sanidade vegetal  
Agricultura intensifica combate à mosca da fruta
Medida preventiva estabelece estado de Roraima como área de emergência fitossanitária para execução do Plano de Erradicação da Mosca-da-Carambola
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
MAPA
15/03/2011

O Ministério da Agricultura vai intensificar as ações contra a mosca-da-carambola - praga que atinge principalmente frutas como manga, goiaba, acerola, caju, tomate e carambola. A partir de agora, como medida preventiva, o estado de Roraima será definido como área de emergência fitossanitária para a execução do Plano de Supressão e Erradicação da praga. “A decisão vai dar maior agilidade aos procedimentos, caso haja reintrodução da praga. Vamos poder enviar mais técnicos para o Estado, adquirir materiais como armadilhas e inseticidas, ou aplicar mais recursos nesta ação”, explica o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Francisco Jardim. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 10 de março, por meio da Instrução Normativa n° 9. Há 45 dias não há foco da mosca em Roraima.

No município de Normandia, estão instaladas 174 armadilhas e, no Brasil, 4.104. Para este ano, estão previstos recursos da ordem de R$ 6 milhões para execução do plano de erradicação da praga no país. A instrução proíbe a saída das frutas de espécies hospedeiras de Roraima para as 26 unidades da federação. Poderão cruzar as fronteiras do estado frutas cítricas (limão, laranja, tangerina) e melancia.

Desde 20 de dezembro de 2010, quando foi detectado o primeiro foco no município, foram vistoriados 9.486 veículos e destruídos 50.000 kg de frutos na região. Além disso, o ministério realizou sete cursos de educação fitossanitária e orientou cerca de 250 pessoas sobre a importância dessas ações no estado. Um curso foi destinado especificamente para lideranças de comunidades indígenas. Em caso de detecção de foco são adotadas medidas de controle, como pulverização, técnica de destruição da mosca, coleta e enterro dos frutos.

Em fevereiro, técnicos do Ministério da Agricultura reuniram-se com  representantes dos Estados Unidos e Suriname para discutir um plano emergencial para erradicação da mosca-da-carambola. O encontro foi  coordenado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA). Representantes do Organismo Nacional de Proteção Fitossanitária (ONPF) do Brasil e do ONPF da França irão debater o mesmo tema no dia 16 de março, em Roma, na sede da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

Classificação

São consideradas áreas de alto risco para disseminação da mosca-da-carambola: Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima. Em risco médio estão Acre, Mato Grosso, Piauí, Rondônia, e Tocantins. Os demais estados são considerados como de baixo risco. As principais formas de disseminação são o transporte de frutos contaminados e os locais de comercialização desses produtos.

Saiba Mais

A mosca-da-carambola é originária da Malásia e Indonésia e foi encontrada no Suriname em 1985. Chegou à Guiana Francesa em 1989 e, em 1996, surgiu o primeiro foco no Brasil, no município de Oiapoque, no Amapá. Em 2007, a praga apareceu na fronteira do Amapá com o Pará, mas foi erradicada em 2008. No momento, a mosca pode ser encontrada em Roraima e Amapá, pois esses estados fazem fronteira com a Guiana e Guiana Francesa, onde a praga está presente.

Existem duas armadilhas para capturar esta praga: a Jackson (utilizada para atrair os machos, por meio de atrativo sexual ─ feromônio) e a Mcphail (que chama a atenção das fêmeas, com atrativo alimentar ─ cheiro de goiaba). O ciclo de vida da mosca é de 126 dias. De acordo com normas internacionais, são necessários 180 dias para um foco ser considerado erradicado de um município. (Kelly Beltrão)
 

 
 
 

 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Pragas
Palavras-chave

 
06/03/2017
Expodireto Cotrijal 2017
Não-me-Toque - RS
06/04/2017
IV Encontro Nacional da Soja
Londrina - PR
18/04/2017
IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar Animal
Porto Alegre - RS
01/05/2017
Agrishow 2017
Ribeirão Preto - SP
29/08/2017
11º Congresso Brasileiro do Algodão
Maceió - AL


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada