dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     25/05/2022            
 
 
    
Evento        
Simpósio sobre manejo sustentável de pastagens
Nas últimas décadas, o estado de RO foi submetido a um processo de desmatamento para o desenvolvimento da agricultura e, principalmente, da pecuária
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Embrapa Rondônia
26/09/2012

Nesta quarta-feira, 26, será aberto o “Simpósio Manejo Sustentável das Pastagens de Rondônia”, às 19h30, no auditório do Senac, em Porto Velho. De acordo com o pesquisador da Embrapa Rondônia, Claudio Townsend, a finalidade é apresentar, a partir do cenário atual, alternativas tecnológicas para recuperação, manejo e sustentabilidade das pastagens em Rondônia. O evento - realizado pela Embrapa Rondônia, Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária, Sebrae-RO e Emater-RO - é direcionado a técnicos, pesquisadores, professores, estudantes de ciências agrárias e pecuaristas.

Segundo Townsend, nas últimas décadas, o estado foi submetido a um processo de desmatamento para o desenvolvimento da agricultura e, principalmente, da pecuária, devido a estímulos governamentais, provenientes de incentivos fiscais, implantação de projetos de assentamentos rurais, financiamentos a juros subsidiados, construção de estradas, etc. “Como resultado da conversão de floresta em pastagens, tem-se verificado consequências negativas para a região, como o aumento das áreas abandonadas com solos degradados e improdutivos”, informa Claudio. Ele acrescenta que “a retirada da floresta, fragilidade dos solos e a expansão da fronteira agrícola sem o devido conhecimento da vocação agroecológica da região, são fatores a serem considerados na análise sobre a expansão das áreas degradadas em Rondônia”.

De acordo com o pesquisador, a recuperação e/ou renovação, assim como a intensificação do uso de pastagens cultivadas devem ser indicadas visando reduzir a expansão em áreas de florestas e propiciando benefícios de ordem ambiental, econômica e social na busca pela sustentabilidade dos sistemas pastoris. “As estratégias usadas para a reabilitação da capacidade produtiva das pastagens buscam interromper o processo de degradação, combatendo as causas a ele associadas”, explica.

Programação

Nos dias 27 e 28, das 8h30 às 17h30, as palestras serão ministradas por pesquisadores da Embrapa e de outras instituições. Na quinta-feira, 27, a primeira palestra é do pesquisador Claudio Townsend, sobre o “Cenário atual das pastagens no estado”. Em seguida, o professor da Esalq/Piracicaba, Fernando Mendonça, fala sobre “Sistema de pastejo rotacionado com irrigação”. Às 14 horas, o pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM) ministra palestra sobre “Degradação, recuperação e adubação de pastagens”. Em seguida, o pesquisador da Embrapa Cerrados (Planaltina, DF), João Kluthcouski, fala sobre “Integração lavoura-pecuária”.

Na sexta-feira, 28, a primeira palestra é com o pesquisador da Embrapa Florestas (Colombo, PR), Wanderley Porfírio da Silva, sobre “Sistema silvipastoril”. Em seguida, o pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Roni de Azevedo, aborda o tema “Controle de plantas invasoras em pastagens”. Depois é a vez professor da Esalq, Ricardo Filho, falar sobre “Controle de pragas (insetos) em pastagens”. Às 14h30, Josenildo do Nascimento, do governo do estado, aborda o tema “Código florestal x Pastagens”. O professor da Universidade Estadual de Maringá, Clóvis Jobim, fecha o ciclo de palestras falando sobre “Suplementação de pastagem com uso de silagem”.

Pecuária em RO

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontam que a área desmatada em Rondônia ultrapassa 85 mil quilômetros quadrados, dos quais estima-se que cerca de 70% são usados, em algum período, com pastagens. Isto corresponde a cerca de 35% do território do estado, totalizando mais de 5,5 milhões de hectares de pastagens.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a atividade leiteira está entre os principais meios de sobrevivência da população rural de Rondônia, estando presente em aproximadamente 83% das propriedades rurais, na maioria de base familiar.

Quanto à pecuária de corte, a carne bovina representa o principal produto de exportação de Rondônia, responsável por mais de 5% da carne exportada pelo Brasil, o que gerou, em 2010, uma receita de, aproximadamente, 190 milhões de dólares para o país. Segundo a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), atualmente, o rebanho bovino rondoniense supera 12 milhões de cabeças e, desse total, cerca de 85% são de animais para a pecuária de corte.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Pecuária
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada