dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     24/06/2019            
 
 
    
Tecnologia    
Espírito Santo possui projeto pioneiro em criação de peixes no mar
Objetivo é realizar o primeiro cultivo experimental de peixes das espécies Beijupirás e Garoupas em ambiente marinho
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Incaper
01/11/2013

A busca por melhorias na vida do produtor capixaba são constantes e, para isso, o Instituto Capixaba de Pesquisa Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) iniciou na última semana de outubro as instalações das estruturas de cultivo do Projeto Cação sem Dentes.

O objetivo é realizar o primeiro cultivo experimental de peixes das espécies Beijupirás e Garoupas em ambiente marinho. Para o experimento duas gaiolas circulares foram instaladas no mar, na Praia de Meaípe, em Guarapari, litoral sul do Espírito Santo.

Todo o trabalho está sendo acompanhado de perto por técnicos, pesquisadores do Incaper e do Instituto Peroá, professores e alunos do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) do Campus de Piúma e pescadores de Meaípe e Guarapari.

O projeto será realizado durante 24 meses, mas a busca pelo desenvolvimento e aprimoramento das técnicas de produção de peixes no mar será uma prática constante nos próximos anos, gerando assim conhecimentos e resultados acerca deste cultivo experimental que futuramente poderão embasar projetos com fins comerciais, agregando renda e garantindo a segurança alimentar e nutricional dos pescadores, assim como a sustentabilidade dos recursos pesqueiros.

Segundo a coordenadora do programa de aquicultura e pesca do Incaper, Juliana de Barros Valle, O Espírito Santo tem boas condições para o sucesso desse tipo de produção. “Esta atividade já é bastante difundida em outros países da Europa e Ásia e o nosso estado apresenta ambientes marinhos adequados, como áreas com profundidade próximas à Costa, além das espécies que estão sendo trabalhadas apresentarem condições favoráveis para o cultivo e os procedimentos de reprodução e larvicultura estarem dominados”, enfatizou.

Juliana destaca que a produção de alimento de forma sustentável será um grande desafio nos próximos anos e a produção de pescado no mar já se mostra como alternativa viável para este fim, no entanto, “é preciso testar as tecnologias já existentes para depois adequar à realidade local”, ressaltou.

O projeto conta com a participação de diversos parceiros como: Incaper, Instituto Peroá, Associação de Pescadores de Meaípe, Ifes – Piúma, Samarco Mineração S.A., Instituto de Pesca de São Paulo, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Prefeitura Municipal de Guarapari, FACTO, Pisceotec, Laboratório Kerber, Josceli da APESCAL e MPA.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada