dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     29/04/2017            
 
 
    
Safra    
É preciso monitorar a lagarta-do-cartucho
Inseto é a principal praga do milho na fase vegetativa
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Sandra Brito, Embrapa Milho e Sorgo
26/12/2016

O produtor precisa ficar atento ao ataque de pragas na lavoura! A lagarta-do-cartucho do milho é a principal praga presente nas lavouras nesse momento em que o milho da primeira safra está na fase vegetativa. "Para não comprometer a produtividade é preciso monitorar, para a correta tomada de decisão", orienta a pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo, Simone Martins Mendes.

Atualmente, o milho transgênico com atividade inseticida, ou simplesmente milho Bt, está plantado em 5,3 milhões de hectares do país. Isso representa cerca de 82% das áreas de milho primeira safra, segundo levantamento realizado pela Céleres.

"Contudo, o uso dessa tecnologia em grande parte das lavouras não retira do produtor a tarefa de manter o monitoramento de pragas, sobretudo em função da quebra de resistência ou redução da eficiência do milho Bt sobre a lagarta-do-cartucho, o que já é realidade nas principais regiões produtoras de milho do país. Neste cenário, é fundamental manter a vigilância e o monitoramento nas lavouras", afirma Simone Mendes.

Segundo a pesquisadora, a presença desta praga pode atingir níveis que demandem medidas adicionais de controle. Isto pode ser feito por meio do controle biológico, com a liberação de insetos benéficos na lavoura, também conhecidos como inimigos naturais, a exemplo da vespinha Trichogramma, ou com o uso de bioinseticidas. Ou mesmo com o controle químico, com a aplicação de inseticidas. Essa medida de controle deve ser utilizada quando a ocorrência da praga atingir um nível em que cause prejuízos e que não seja mais viável o uso do controle biológico. Isso pode ser verificado a partir do monitoramento.

Basicamente, duas formas de monitoramento têm sido preconizadas: a primeira é o uso de armadilhas de feromônio, e a segunda, o monitoramento em campo. "No primeiro caso, a armadilha contém um dispositivo que exala o "cheiro" da mariposa fêmea da lagarta-do-cartucho para atrair o macho. Nesse caso, é preciso verificar as armadilhas com frequência, e, quando for observada a captura de três mariposas, é o sinal de que o nível crítico de infestação foi atingido. Aí o produtor precisa levar em consideração quais são as medidas de manejo a serem adotadas. Uma armadilha pode monitorar em torno de cinco hectares", explica a pesquisadora .

Por sua vez, o monitoramento presencial no campo tem como foco as injúrias (folhas raspadas ou danificadas) causadas pela lagarta-do-cartucho nas plantas do milho. Nesse caso, ele precisa dividir as lavouras em talhões e adotar uma estratégia para o monitoramento. "É preciso ficar atento ao nível máximo de 20% de plantas com injúrias para que se decida pelo uso do controle químico", orienta Mendes.

A partir deste momento, as plantas ficam maiores e se tornam menos vulneráveis à infestação da praga. "Além disso, quando a lagarta fica muito grande, é difícil atingi-la com qualquer medida de controle. Vale ressaltar que os danos causados pela lagarta-do-cartucho na planta podem levar a uma redução de aproximadamente 40% de produtividade", diz Simone Mendes.

Para saber mais sobre o manejo de resistência de insetos em lavoura de milho Bt clique aqui para ler uma publicação da Embrapa.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
18/04/2017
IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar Animal
Porto Alegre - RS
01/05/2017
Agrishow 2017
Ribeirão Preto - SP
16/05/2017
AgroBrasília 2017
Brasília - DF
29/08/2017
11º Congresso Brasileiro do Algodão
Maceió - AL


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada