dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     17/11/2017            
 
 
    
Programas  
Soja Livre se tornará associação em 2017
Objetivo é ampliar as ações de fomento à soja convencional. Imea fará levantamento de custos de produção da soja livre
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Aprosoja
19/05/2017

O projeto Soja Livre, que visa fomentar o cultivo de soja convencional em Mato Grosso, se tornará uma associação ainda em 2017. A mudança tem o objetivo de ampliar a abrangência da iniciativa e aperfeiçoar as ações – que estão sendo remodeladas.

“Apesar da mudança, manteremos a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) na coordenação, em parceria com produtores de sementes e empresas. O foco continua o mesmo: garantir que haja possibilidade de escolha no mercado da sojicultura brasileira”, observa o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin.

Com a predominância da soja transgênica nas lavouras brasileiras, os compradores da “soja livre” pagam um prêmio pelo produto diferenciado, que vem sendo demandando de forma crescente pelos mercados europeus e asiáticos. Atualmente, esse prêmio está, em média, em R$ 12,00 por saca.

Apesar da rentabilidade, o cultivo de soja convencional esbarra em dois desafios. O primeiro é dispor da estrutura necessária para produção, armazenagem e transporte da “soja livre”, uma vez que precisa ser segregada da variante geneticamente modificada. “Essa estrutura implica em custos adicionais, cujo monitoramento não é feito hoje de forma detalhada”, comenta Dalcin.

Para resolver isso, o projeto solicitou ao Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) que passe a fazer o levantamento dos custos de produção e da estimativa de safra de soja convencional em Mato Grosso. “Temos dados conflitantes hoje, e sabemos da importância de dispormos de informação qualificada para ajudar os produtores em sua tomada de decisão”, afirma Dalcin.

O segundo desafio é encontrar sementes convencionais disponíveis. “E é por isso que o Soja Livre precisa da participação das sementeiras. É uma iniciativa integrada”, observa Roseli Giachini, doutora em Fitopatologia e coordenadora do projeto na Aprosoja. Além da Aprosoja e da Embrapa, são parceiros do Soja Livre as empresas Imcopa, Caramuru, Sementes Arco-Íris, Codeagri, Aprosmat, Ypameri Sementes, Sementes Eliane, Sementes Quati e Bolsa de Sementes e Agronegócios.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
22/11/2017
Curso de Metodologias para Determinação da atividade microbiana do Solo
Londrina - PR
14/03/2018
V Simpósio de Produção Animal e Recursos Hídricos - V SPARH
São Carlos - SP

21/11/2017
Curso de processamento de mandioca
Cruz das Almas - BA

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada