dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     22/07/2017            
 
 
    
Sanidade Vegetal    
Soja: rede avalia fungicidas contra a ferrugem
Na safra 2016/2017, a rede de ensaios identificou queda na eficiência dos produtos com um dos princípios ativos mais novos do mercado
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Lebna Landgraf, Embrapa Soja
30/06/2017

Durante a 36 Reunião de Pesquisa de Soja, realizada dias 28 e 29 de junho, em Londrina (PR), chamou a atenção do público a apresentação dos resultados dos ensaios em rede que avaliam a eficiência de fungicidas registrados e em fase de registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A ferrugem-asiática da soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, é a doença mais severa da soja. Na safra 2016/2017, a rede de ensaios identificou queda na eficiência dos produtos com carboxamidas - um dos princípios ativos mais novos do mercado - principalmente em ensaios realizados no MS, PR e RS. A situação mais crítica foi a dos ensaios do Rio Grande do Sul, porque as semeaduras são mais tardias e as lavouras são atingidas pelos esporos do fungo das outras regiões. “Por isso, a janela de semeadura é um problema, porque quanto mais tarde você planta, mais fungicida o produtor precisa aplicar”, diz a pesquisadora Cláudia Godoy, da Embrapa Soja,

De acordo com a pesquisadora, só para os produtos com modo de ação sítio específicos (produtos mais novos, registrados na última década) para controle da ferrugem foram realizados 39 ensaios. Outros 29 ensaios foram realizados para os fungicidas com modo de ação multissítios (disponíveis no mercado há mais de 30 anos). “Os multissítios voltaram a ser avaliados pela rede há três anos, na tentativa de ampliar as opções para o manejo de ferrugem. Isso porque os produtos que são mais novos estão tendo a eficiência reduzida devido a mutações do fungo”, explica a pesquisadora.

Para Godoy, os multissítios estão em uma faixa de 50% a 60% de eficiência. Esses produtos são indicados para serem usados em programas com os outros fungicidas. “A função deles é aumentar a eficiência do controle dos fungicidas e atrasar a resistência dos fungos aos fungicidas mais novos”, diz.

Nos ensaios cooperativos, os fungicidas são avaliados individualmente, em aplicações sequenciais, para determinar a eficiência de controle. “As informações devem ser utilizadas na determinação de programas de controle, priorizando sempre a rotação de fungicidas com diferentes modos de ação e adequando os programas a época de semeadura”, reforça. “As aplicações sequenciais e de forma curativa devem ser evitadas para diminuir a pressão de seleção de resistência do fungo ao fungicida”, explica.

Os ensaios em rede vêm sendo realizado desde a safra 2003/04, nas principais regiões produtoras e servem de parâmetros para que técnicos e produtores estabeleçam seus programas de manejo de doenças da soja. A rede é formada por fundações, universidades, instituições de pesquisa, consultores e empresas de defensivos agrícolas.

Durante a Reunião de Pesquisa de Soja, o MAPA apresentou os resultados da reavaliação de fungicidas para ferrugem-asiática, onde foram suspensos 104 da recomendação, ficando 26 fungicidas recomendados para ferrugem. Desses 104, mais de 50% dos fungicidas, não apresentaram defesa na reavaliação, sendo automaticamente suspensos.

Manejo da ferrugem
Para minimizar os problemas com a ferrugem asiática, Godoy diz que o produtor deve seguir as recomendações para o manejo adequado da ferrugem, ou seja, utilizar cultivares de ciclo precoce e semeaduras no início da época recomendada, eliminar plantas de soja voluntárias na entressafra por meio do vazio sanitário, monitorar a lavoura desde o início do desenvolvimento da cultura, utilizar fungicidas no aparecimento dos sintomas ou preventivamente e utilizar cultivares com gene de resistência

Mancha alvo
De acordo com Godoy, os resultados da rede de ensaios para o controle da mancha alvo estão muito similares aos da última safra. “Os melhores tratamentos para mancha alvo nos últimos anos, foram os melhores também na última safra. Os resultados mostram uma constância na eficiência dos melhores produtos”, avalia.

Os resultados dos ensaios em rede serão disponibilizados, em breve, em circulares técnicas, no site da Embrapa Soja.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Sanidade Vegetal
Palavras-chave

 
25/07/2017
IV Encontro Regional de Plantio Direto na Palha
Chapecó - SC
29/08/2017
11º Congresso Brasileiro do Algodão
Maceió - AL


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada