dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     24/09/2017            
 
 
    
Tecnologia  
Epagri inclui mais uma tecnologia na plataforma de boas práticas da FAO/ONU
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Epagri
12/09/2017

A produção de morangos em sistema semi-hidropônico suspenso é mais tecnologia difundida pela Epagri a integrar a Plataforma de Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU). Essa é a nona tecnologia desenvolvida ou difundida pela Epagri a integrar a plataforma, um espaço de disseminação e compartilhamento de iniciativas replicáveis de boas práticas desenvolvidas na Região Sul do Brasil.

O sistema difundido pela Epagri tem várias vantagens, entre elas melhor utilização do espaço na pequena propriedade com bons resultados econômicos, adaptação à realidade da mão-de-obra disponível na propriedade e produção em períodos diferenciados das épocas tradicionais. Outro grande diferencial é a produção de morangos com maior qualidade e menor risco de contaminação.

O cultivo de morango em sistema semi-hidropônico suspenso apresenta boa produtividade com rápido retorno econômico. A rentabilidade se destaca. Para cada R$ 1,00 empregado na atividade existe um retorno da ordem de R$ 1,04 no primeiro ano e R$ 3,44 no segundo. Outro aspecto importante do sistema é a produtividade, que fica na média de 1 kg por planta/ciclo.

Além de lucrar mais, o agricultor também ganha qualidade de vida com a utilização do sistema, graças à otimização de mão de obra e melhor ergonomia. Como o sistema é suspenso, o profissional não precisa se abaixar para lidar diariamente com as plantas. A manutenção de uma postura mais adequada evita dores nas costas e outros problemas associados.

Além das vantagens descritas, a prática é condizente com os preceitos de sustentabilidade. Ela proporciona melhor utilização dos recursos disponíveis, através do uso criterioso e menos intenso de insumos químicos, o que resulta na obtenção de produtos limpos e de qualidade.

De acordo com pesquisadores da área, não se pode precisar onde o sistema começou. São registradas iniciativas iniciais no Rio Grande do Sul, no final da década de 1990. A partir de 2001, pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho contribuíram para ajustar a tecnologia de produção. Na região Oeste de Santa Catarina a Epagri é pioneira na implantação da prática.

O material, que atualmente está disponível em português na plataforma, em breve será traduzido para inglês, espanhol e francês.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
21/10/2017
Dia de Campo Sistemas Integrados de Produção Agropecuária
Sete Lagoas - MG
23/10/2017
Semana Nacional de Ciência
Petrolina - PE
24/10/2017
XXII Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol (RNPG) e o X Simpósio Nacional sobre a Cultura do Girassol
Lavras - MG

28/09/2017
Curso Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
São Carlos - SP
23/10/2017
Formação de Responsáveis Técnicos e Auditores da Produção Integrada de Morango - PIMo
Jaguariúna - SP
21/11/2017
Curso de processamento de mandioca
Cruz das Almas - BA

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada