dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     21/11/2017            
 
 
    

http://www.diadecampo.com.br/arquivos/image_bank/especiais/Rubens_Miranda_out_17_ARTIGOS_2017103110174.jpg

Em outubro, a Conab disponibilizou o primeiro levantamento da safra brasileira de grãos 2017/18, e os números não fogem ao que já era esperado. A grande disponibilidade de milho, decorrente da supersafra 2016/17, rebaixou os preços do grão, que por sua vez deve influenciar a decisão de reduzir a área plantada de milho na próxima safra verão que se inicia. O que de certa forma dá prosseguimento à tendência de redução da primeira safra de milho observada nos últimos anos.

No âmbito especulativo de cenários mais ou menos positivos, a Conab projeta uma diminuição da área plantada do milho no verão entre 6,1% e 10,1%. Se considerarmos apenas a região Centro-Sul, a faixa de queda projetada é ainda maior, entre 9,5% e 15,0%.

Adicionalmente à queda na área plantada, a Conab ainda projeta uma redução da produtividade, por motivos como o desinvestimento (redução do nível tecnológico) pelos altos custos de produção e cotações baixas. Outra razão levantada é a elevada infestação de lagartas em algumas regiões. Assim, segundo as projeções, a queda de produtividade no País pode chegar a 8,1%.

Caso as projeções de queda da área plantada de milho somada à redução da produtividade pela Conab se confirmem, a produção da primeira safra deve sofrer um impacto negativo considerável. Segundo essas previsões, a redução da produção nacional deve ficar entre 13,8% e 17,2%, o que seria um decréscimo de 4 a 5,5 milhões de toneladas de milho.

Além do aumento considerável da oferta de milho decorrente da grande safra, o arrefecimento das exportações a partir de maio de 2016 potencializou o crescimento da disponibilidade doméstica do grão. Segundo o levantamento do Agrolink, a cotação nacional média da saca do cereal na primeira quinzena de outubro de 2017 foi 40% menor (queda de R$ 38,64 para R$ 23,32) do que o observado no respectivo mês de 2016. É uma redução de preço natural frente a grande oferta de milho, mas sem um aumento proporcional na demanda, ocorrendo na verdade uma diminuição dela com a queda das exportações.

A forte retomada das exportações a partir de julho, proporcionando três meses de recordes sucessivos, teve o mérito de reverter a queda acentuada das cotações, passando a aumentar desde então. No trimestre de julho-agosto-setembro foram exportados 13,5 milhões de toneladas de milho, acréscimo de quase 6 milhões de toneladas ao melhor resultado já visto para o mesmo trimestre, em 2012. Se as vendas externas permanecerem nesse patamar até o final do ano - provavelmente o melhor resultado já obtido - os 28,9 milhões de toneladas em 2015 serão superados.

O desempenho recente das exportações foi tardio para impactar favoravelmente a área de milho na safra verão que se inicia. Entretanto, a reversão da queda-livre das cotações somadas à provável diminuição da oferta de milho na primeira safra pode afetar positivamente a segunda safra em 2018. Infelizmente, teremos que esperar o avanço da safra para traçarmos um cenário para 2018 com maior precisão, mas sempre prestando atenção aos principais elementos norteadores, como o comportamento climático e o desempenho das exportações.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Safra
Palavras-chave

 
22/11/2017
Curso de Metodologias para Determinação da atividade microbiana do Solo
Londrina - PR
14/03/2018
V Simpósio de Produção Animal e Recursos Hídricos - V SPARH
São Carlos - SP

21/11/2017
Curso de processamento de mandioca
Cruz das Almas - BA

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada