dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     16/07/2018            
 
 
    
Sustentabilidade  
Cientistas buscam saída para frear degradação do solo no Nordeste
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Fernando Sinimbu, Embrapa Meio-Norte
27/11/2017

Durante quatro dias, a partir desta segunda-feira (27), cientistas vão discutir, em Teresina, saídas para frear a degradação do solo no Nordeste. O Plano Nacional de Combate à Desertificação (PNCD) considera que a grande maioria das terras suscetíveis à desertificação se encontra em áreas semiáridas e sub-úmidas da região.

Cerca de 181 mil Km2 (aproximadamente 20 % do semiárido nordestino), se encontram em processo de desertificação, representando um desafio para o aumento da produtividade e para a melhoria do uso de recursos naturais. Na maior parte dessas áreas predominam solos rasos e uma cobertura vegetal esparsa de caatinga.

O processo de desertificação se deve à irregularidade das precipitações pluviométricas, condições de fertilidade do solo e pressões populacionais em um ambiente tipicamente frágil, se agravando nos últimos anos devido à seca, observa o pesquisador da Embrapa Luciano Accyoli.

Soluções deverão ser discutidas durante a IV Reunião Nordestina de Ciência do Solo (IVRNCS), que acontece paralelamente ao I Simpósio Piauiense de Ciência do Solo. O tema da reunião é o Uso Sustentável do Solo para Segurança Alimentar no Nordeste Brasileiro.

O chefe-geral da Embrapa Meio-Norte, Luiz Fernando Leite, fará a conferência de abertura sobre Solos Inteligentes: Um Complexo Desafio para a Segurança Alimentar e a Saúde Humana. Além de palestras, haverá mesas redondas, minicursos e apresentação de trabalhos acadêmicos.

Reunindo pesquisadores experientes, o evento vai abordar aspectos importantes como educação em solos, tipos de solos no Brasil, análises, suprimentos, nutrientes, degradação, agricultura familiar e biomas. “Para termos produção vegetal e animal, o solo deve ser manejado com sustentabilidade satisfatória e sem qualquer degradação”, diz Henrique Antunes, pesquisador da Embrapa e coordenador técnico da reunião.

A IVRNCS é uma realização da Embrapa Meio-Norte, universidades Federal e Estadual do Piauí, Instituto Federal de Educação do Piauí e Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (Núcleo Regional do Nordeste). O evento tem o apoio do Governo do Piauí, CNPq, CAPES, Aprosoja, Terra Brasileira, Banco do Nordeste e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI).

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
19/07/2018
Produção de feijão-caupi no Estado do Amazonas
Manaus - AM
01/08/2018
16º Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha
Sorriso - MT
25/08/2018
Expointer 2018
Esteio - RS
27/08/2018
XI Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais
São Cristóvão - SE
03/09/2018
XII Congresso da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção
Viçosa - MG
07/09/2018
Simpósio Métodos Rápidos para avaliar qualidade tecnológica e contaminantes em grãos
Londrina - PR
18/09/2018
IV Dia de Campo Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
Passo Fundo - RS

07/08/2018
Curso sobre Fertirrigação
Petrolina - PE
09/08/2018
Adubação orgânica
Manaus - AM

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada