dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     22/09/2018            
 
 
    
Política Agrícola  
Projeto Reniva possibilita incubação de empresa
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Clenio Araujo, Embrapa Pesca e Aquicultura
19/06/2018

No Tocantins, o projeto Reniva recentemente gerou um fruto inédito e que deverá contribuir para incrementar ainda mais a cadeia produtiva da mandioca. É que o Instituto Federal do Tocantins (IFTO), por meio de seu campus na capital Palmas, incubou uma empresa que vai comercializar manivas-semente no estado. Seguindo orientações técnicas compartilhadas pelo projeto, essas manivas terão qualidade tanto do ponto de vista genético (apresentando grande potencial produtivo), como no que se refere à fitossanidade, ou seja, à característica de resistência a doenças.

O Reniva é um projeto que envolve diversos parceiros, tanto públicos como da iniciativa privada, visando a multiplicar e transferir tecnologias que possibilitam as chamadas manivas-semente de qualidade. Agora, com uma empresa especializada nessa área, a tendência é de os produtores do estado terem mais facilidade no acesso a um dos principais itens que levam a lavoura de mandioca ao sucesso. Plantando um produto de boa qualidade, tudo leva a crer que os resultados sejam animadores.

A professora Vanessa Domingos, do curso de Agronegócio do campus Palmas do IFTO, está à frente da Genova. Segundo ela, “a intenção da empresa é fornecer as mudas aos produtores, garantindo que as mesmas proporcionarão um fator competitivo em relação à incidência de plantas invasoras, em comparação ao uso de manivas, pois a muda vai para o campo com 30 cm de comprimento; isto contribui para o bom desenvolvimento das plantas durante todo o ciclo da cultura e consequentemente maior produtividade”. Em termos de ganhos de produtividade, a expectativa é promissora. “O uso de uma muda livre de vírus pode proporcionar um aumento de até 40% na produtividade devido ao vigor da muda, maior competitividade com o mato e estado nutricional da planta saudável nos primeiros estágios da cultura”, explica.

Vanessa relata benefícios de parcerias em projetos: “vivemos em um mundo globalizado, onde as parcerias ampliam as oportunidades e o sucesso da atuação das instituições, sejam públicas ou privadas. A parceria que fizemos com a Embrapa é um exemplo de sucesso, em que cada instituição buscou cumprir com a sua missão; a Genova surgiu a partir de um projeto de pesquisa e hoje é uma spin-off incubada no campus Palmas, IFTO. Acredito que o trabalho em parceria tem muitas vantagens para as instituições porque auxilia a superar os pontos mais limitantes e maximizar as potencialidades, gerando novos cenários de atuação”.

Coordenação
O pesquisador Gustavo Campos, que atua no núcleo de pesquisas em sistemas agrícolas da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), está à frente dos trabalhos do Reniva no Tocantins. Sobre a Genova, primeira empresa incubada no IFTO, ele entende que vai colaborar para incremento da cadeia produtiva da mandioca no estado: “a disponibilidade de mudas comerciais preenche uma lacuna relacionada à falta de material propagativo de mandioca. Por exemplo: um produtor pode adquirir uma quantidade de mudas para montar seu matrizeiro e, na sequência de cultivo, dispor de manivas-semente para compor seu empreendimento de produção de raízes”.

O Reniva é um projeto surgido na Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas-BA). Com o tempo, vem se espalhando por diferentes estados de diversas regiões brasileiras. Sempre buscando compartilhar informações técnicas seguras e que permitem ao produtor incrementar os resultados de suas lavouras. Cultura agrícola das mais tradicionais em todo o país, a mandioca tem tudo pra melhorar seus índices: seja em termos de produção; seja com relação aos níveis de produtividade; seja no que se refere à qualidade do produto em si.

Gustavo explica que “o projeto Reniva no Tocantins busca disseminar uma série de princípios e tecnologias sustentáveis para a mandiocultura. A busca pela profissionalização da cadeia produtiva da mandioca é uma necessidade dos produtores e de todos os elos envolvidos na cadeia. A presença de uma empresa que oferece um produto de qualidade, ou seja, um insumo para produção com profissionalismo, contribui para o desenvolvimento deste agronegócio”. A empresa incubada no IFTO (confira vídeo neste link) é um exemplo efetivo de parceria que está dando certo. A mandiocultura tocantinense agradece.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
18/09/2018
IV Dia de Campo Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
Passo Fundo - RS
09/10/2018
EsalqShow 2018
Piracicaba - SP
06/11/2018
V Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos
Fortaleza - CE


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada