dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     11/07/2020            
 
 
    

 

É comum observar a preocupação dos produtores rurais, tanto de leite como de corte, no controle de parasitos externos, principalmente os carrapatos, os bernes e as moscas-dos-chifres, reconhecidos vilões da produtividade dos rebanhos. No entanto, as moscas domésticas não lhes causam o mesmo incômodo, possivelmente por desconhecimento dos riscos que representam à saúde das pessoas e animais.

As moscas domésticas (musca domestica) são transmissoras de doenças. Habitam locais contaminados e transportam bactérias e vírus aderidos ao seu corpo, que podem infectar animais e seres humanos. Há evidências da possibilidade de transmissão de mais de 65 diferentes tipos de doenças por meio de moscas, dentre elas febre tifóide, disenteria, cólera, lepra, mastites, ceratoconjuntivite e tuberculose (Novartis, 2006).

O período de ovo a adulto varia de 7 a 35 dias, conforme a temperatura e umidade. Anos mais chuvosos ou com temperaturas amenas favorecem sua proliferação, tornando a gravidade do problema mais severa. A mosca adulta vive cerca de 30 dias, acasalando já no primeiro dia que sai da pupa, pondo cerca de 700 ovos em sua vida. Os ovos são depositados nos montes de esterco dos animais, onde se formarão as larvas e pupas.

O que se vê voando representa apenas 20% da população de moscas na fazenda. Os outros 80% estão “escondidos” como ovos, larvas e pupas nos focos de criação. Sistemas de criação intensivos produzem grandes volumes de excrementos, favorecendo a proliferação de insetos, especialmente moscas. Confinamentos, galpões de frangos, pocilgas, bezerreiras e leiterias são ambientes geradores de substrato para a multiplicação destes insetos, devendo receber atenção especial.

"O que se vê voando
representa apenas 20% da população de moscas na fazenda"

Octaviano A. Pereira Neto

 

Doenças transmitidas através das moscas

As moscas domésticas têm hábito alimentar lambedor, frequentando ambientes muito contaminados (esterqueiras, mangueiras, currais, etc...) e depois transportando germes que irão contaminar animais e alimentos. Assim, as moscas domésticas, representam desde um problema de sanidade animal a um grave risco à saúde pública.

As moscas são atraídas por secreções dos olhos, narinas, boca, umbigo dos recém nascidos, feridas abertas, gotejamento de leite pelo esfíncter dos tetos, carregando consigo uma enorme quantidade de bactérias, as quais acabam se desenvolvendo nos pontos de contato, levando a uma série de doenças, tais como as ceratoconjuntivites, mastites, onfaloflebites e infecções em geral.

Outras moscas, como a Mosca-dos-chifres (Haematobia irritans) e a Mosca-dos-estábulos (Stomoxys calcitrans L.), que têm hábito de alimentação sugador (picam animais), podem ser responsáveis pela transmissão de doenças, tais como a anemia infecciosa equina e a anaplasmose bovina. Seu hábito de vida as mantém próximas de instalações e criações, sendo menos encontradas nos domicílios. Seu controle passa por pulverização dos animais com produtos à base de organofosforados ou piretróides sintéticos, dependendo do nível de resistência aos princípios ativos que tais produtos possam já apresentar na população alvo.

Para as Moscas dos Estábulos é possível, ainda, empregar métodos de controle de larvas nos pontos de proliferação (esterqueiras, por exemplo) da mesma forma que descrita para moscas domésticas e que abordaremos mais à frente.

É possível viver sem moscas na fazenda, em níveis baixos de infestação, embora muitos produtores desconheçam as formas de controle. Para tal, deve ser adotado o manejo dos dejetos, evitando e tratando a aglomeração de esterco, que proporcionam ambiente favorável ao desenvolvimento dos ovos e larvas de moscas. A adoção de produtos larvicidas e adulticidas elimina as diferentes fases dos insetos, quebrando seu ciclo de crescimento e controlando os avanços de sua população.

Programas de controle de moscas domésticas na propriedade rural

O uso de inseticidas não seletivos, além de apresentarem maiores riscos à saúde, já apresenta falhas de eficiência. Sua aplicação nas esterqueiras ou montes de fezes, afeta a fauna natural de reciclagem do bolo fecal, como é o caso de minhocas e besouros coprófagos.

A linha Novartis Saúde Animal desenvolve há vários anos programas de controle de pragas, consagrados pelos produtores como ferramentas estratégicas ao sucesso e a garantia da sanidade do sistema de produção. Esta área, a qual denominamos Bioprotection (Bioproteção), foca no combate dos principais vetores de doenças no meio rural: as moscas domésticas e os roedores.

O controle das moscas deve focar em dois pontos estratégicos. Eliminar as moscas adultas, evitando a ovopostura; e eliminar as larvas nos pontos de proliferação, evitando novas gerações. Atuando nas “duas pontas” em pouco tempo se observa a redução da população de moscas domésticas e se obtém melhores resultados sobre o investimento.

O controle de moscas adultas com o Agita® 10WG deve ser feito por pincelamento ou pulverização nos locais de pouso das moscas, como paredes não porosas, fios e tubulações. Pincelado age por cerca de 6 a 8 semanas, dependendo das condições ambientais. Já no controle das larvas, o larvicida Neporex® 50SP impede a formação de pupas, responsáveis pelas novas gerações de moscas.

Adotando programas de controle integrados eficazes, que ajam em larvas e moscas adultas, é possível prevenir doenças e perdas produtivas, geradas pelo estresse e pela contaminação

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Paulo
20/10/2010 - 20:56
Muito bom os produtos . Uso e recomendo o Agita e neporex

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Sanidade Animal - Artigos já Publicados

Sanex
Ambiência: uma preocupação da avicultura brasileira
16/02/2012

Ourofino
A importância do consumo da carne vermelha
02/02/2012

Sanex
Criação de bezerras: Como prevenir diarreias e melhorar resultados com o uso de eletrólitos
05/01/2012

Sanex
O uso dos eletrólitos na produção de aves
01/12/2011

Ourofino
Novos desafios da produção leiteira
24/11/2011

Sanex
Ácidos orgânicos e Salmonella
06/10/2011

Ourofino Agronegócio
Doença respiratória de bovinos
20/09/2011

Sanex
Práticas de acidificação em água e ração
30/08/2011

Ourofino Agronegócio
Confinamento bovino
09/08/2011

Ourofino Agronegócio
Febre do leite
12/07/2011

Ourofino
Boas práticas de vacinação
19/04/2011

Ourofino
Berne/Dermatobiose (Dermatobia hominis)
01/03/2011

Ourofino Agronegócio
Stomoxus calcitrans: mosca dos estábulos
19/01/2011

Novartis
Efeitos das parasitoses sobre a reprodução bovina
17/01/2011

Ourofino
Boas práticas de ordenha
07/12/2010

Novartis
Mosca-do-estábulo: problema em área rural
05/11/2010

Ourofino
Um mal silencioso
25/10/2010

Novartis
Controle do carrapato: por que se deve “quebrar” as gerações?
01/10/2010

Ourofino
Controle estratégico da verminose dos bovinos
23/09/2010

Syntec
Utilização de maleato de acepromazina em laminite
08/09/2010

Novartis
O médico veterinário e a área comercial
02/09/2010

Merial Saúde Animal
Controle parasitário em bovinos leiteiros - Parte II
01/09/2010

Ourofino
Planejamento e organização de medicamentos contribuem no combate às doenças no rebanho
25/08/2010

Ourofino
IATF: um atalho para maior produtividade
12/08/2010

Merial
Programa de Controle Parasitário Estratégico Integrado das Parasitoses
11/08/2010

Syntec
Importância da gentamicina no tratamento de mastite em búfalas
10/08/2010

Novartis
Problemas causados por roedores em áreas rurais
30/07/2010

Syntec
Importância da diarreia em bezerros
28/07/2010

Ourofino
Pneumonia Bovina
21/07/2010

Tortuga
Produção de volumoso
19/07/2010

Novartis
O teste de sensibilidade aos carrapaticidas e suas vantagens
12/07/2010

Vallée
Qualidade do Leite
08/07/2010

Novartis
Produção Animal: Bases Fisiológicas da Produtividade
16/06/2010

Merial
Controle parasitário em bovinos leiteiros - parte I
15/06/2010

Ourofino
Manejo Sanitário na seca: momento decisivo!
08/06/2010

Syntec
Considerações sobre as cirurgias abdominais com equino em posição quadrupedal
02/06/2010

Pfizer
Diarreia neonatal: inimiga do bezerro, prejuízo para o produtor
27/05/2010

Vallée
Intoxicação em animais domésticos
21/05/2010

Merial Saúde Animal
Época da desmama exige cuidados sanitários e de manejo
18/05/2010

Novartis
Resistência aos carrapaticidas: um fantasma recorrente
14/05/2010

Novartis
Problemas causados pelas moscas domésticas na produção animal
11/05/2010

Pfizer
Importância do controle estratégico e integrado de parasitas
07/05/2010

Ourofino
Qualificação no campo contribui para a prevenção da mastite
04/05/2010

Syntec
O que é Síndrome Metabólica Equina?
30/04/2010

Vallée
Uso correto de vacinas e vacinações
23/04/2010

Merial
Controle de clostridioses em confinamento
19/04/2010

Ourofino
A sanidade no foco das discussões
16/04/2010

Syntec
Artrite infecciosa (Artrite Séptica): Uma ameaça para equinos atletas
12/04/2010

Pfizer
Doenças infecciosas em suínos
07/04/2010

Novartis
Fundamentos da mastite bovina e seus impactos na produção
06/04/2010

Vallée
Como tratar e identificar a Tristeza Parasitária Bovina
30/03/2010

Ourofino
Mastite bovina: Higiene pode evitar a doença
12/03/2010

Pfizer
Controle da coccidiose em aves evita queda de produção
11/03/2010

Syntec
Cesárea em vacas: Sim ou Não?
10/03/2010

Vallée S.A
Manejo do Neonato
08/03/2010

Merial Saúde Animal
Casos subclínicos de mastite podem colocar em risco sanidade do rebanho
24/02/2010

Novartis
Espiroquetose Intestinal Aviária: Uma realidade brasileira
23/02/2010

Ourofino
Um problema ambiental chamado Stomoxys Calcitrans (Mosca dos Estábulos)
15/02/2010

Syntec
Treinamento sob Tranquilização. É possível?
12/02/2010

Pfizer
Selante interno: ferramenta importante no controle da mastite
08/02/2010

Merial Saúde Animal
Manejo e controle sanitário são fundamentais na criação de equinos
04/02/2010

Vallée S/A
Verminoses causam grandes prejuízos ao produtor
30/01/2010

Tortuga
A importância da utilização da oxitetraciclina na clínica veterinária
29/01/2010

Novartis
Efeitos na produção e controle das para das parasitoses bovinas
23/01/2010

Real H
Otimizando a atividade leiteira através da Homeopatia Populacional
19/01/2010

Merial
Controle da Bronquite Infecciosa nos plantéis aviários brasileiros ainda é um desafio
18/01/2010

Pfizer
Doenças reprodutivas causam perdas em gado de corte
08/01/2010

Vallée
Clostridioses em Bovinos
22/12/2009

Ourofino
A importância da estação de monta no sistema de produção de bovinos de corte
22/12/2009

Pfizer
Um bom começo
10/12/2009

Merial
Ingestão de colostro pelos leitões é o primeiro passo para uma perfeita resposta imune
09/12/2009

Ourofino
Prejuízo com mosca-dos-chifres no rebanho brasileiro pode chegar a US$ 150 milhões por ano
03/12/2009

Novartis
Medicação via água na Suinocultura
03/12/2009

Pfizer
Inseminação Artificial em Tempo Fixo aumenta produtividade em fazendas
11/11/2009

Merial
Calendário sanitário nas fazendas garante lucro, eficiência e bem-estar animal
23/10/2009

Novartis
A importância do controle das verminoses
23/10/2009

Ourofino
Clostridioses
21/10/2009

Conteúdos Relacionados à: Pecuária de Corte
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada