dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     25/09/2020            
 
 
    
Meio Ambiente  
Biodigestor trata resíduos suínos e humanos conjuntamente em SP
Experiência de sucesso oferece alternativa para tratamento de esgoto em pequenas comunidades rurais
Ouça a entrevista Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir Ficha
Nivea Schunk
18/02/2010

Um projeto voltado para o saneamento básico no campo, conduzido pela Embrapa Instrumentação Agropecuária, inova com o tratamento conjunto dos resíduos suínos e humanos através de biodigestão anaeróbia. Coordenadas pelo pesquisador Wilson Lopes da Silva, os testes têm o intuito de disponibilizar à sociedade e aos órgãos governamentais um sistema relativamente barato e capaz de tratar o esgoto nas pequenas comunidades rurais.

— Nessas regiões, os dejetos são diretamente colocados na natureza ou nas fossas negras, que são buracos cavados no chão para depósito de esgoto. O ciclo de contaminação se dá porque essa água acaba penetrando no solo e contaminando o lençol freático, rios e poços caipiras — explica ele

Implementado na cidade de Cabrália Paulista, nas imediações de Bauru, em São Paulo, o experimento consiste na instalação de um biodigestor com 250 mil litros de capacidade, que absorve os resíduos de 50 animais e 100 alunos do semi-interno de uma escola agrotécnica. Os resultados preliminares têm demonstrado quase 100% de eficiência no tratamento de coliformes fecais e cerca de 95% de redução de carga de matéria orgânica.

A tecnologia, que proporciona ganhos sociais, econômicos e ambientais, tem produzido gás equivalente a um botijão de cozinha por dia e oito mil litros de efluentes tratados. E a grande capacidade de resposta do fertilizante, comprovada com pesquisas em pomares, já estendeu o seu uso às localidades periféricas da região.

— O foco é a saúde pública, mas a iniciativa propicia diversos outras vantagens. Na experiência da escola, por exemplo, a economia é de mil reais mensais de economia com o gás para cozinhar, separando ainda parte do produto para geração de energia elétrica. Também economizamos cerca de R$ 400 relativos à adubação do solo — ressalta.

Além dessa amortização nos custos de utilização do próprio biodigestor, há os benefícios ambientais, à medida que a técnica evita a emissão de gases tóxicos de efeito estufa, como o metano. A idéia é promover o conceito de propriedade rural sustentável e economicamente viável.

"A economia é de
mil reais mensais
com o gás para
cozinhar"


 Wilson Lopes da Silva

 

Clique aqui, ouça a íntegra da entrevista concedida com exclusividade ao Jornal Dia de Campo e saiba mais detalhes da tecnologia.
Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Biodigestão anaeróbia
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada