dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     19/08/2019            
 
 
    

Em tempos que tanto se fala, e com exagero, sobre os supostos impactos ambientais da pecuária de corte, a necessidade de ganho na produtividade aparece como solução viável para mitigar tais impactos. 

No entanto, a pecuária vem avançando em produtividade há anos, desde o início da década de 70, o que iremos apresentar com alguns dados a seguir.

Conhecemos as dificuldades estatísticas para se analisar dados da pecuária brasileira, especialmente após a publicação do Censo 2006, que acabou agregando mais perguntas do que respostas.

O Censo de 2006 (IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) concluiu que o rebanho brasileiro seria de 171,6 milhões de cabeças. Porém, o mesmo IBGE indica um rebanho de 205,8 milhões de cabeças para o ano de 2006 na pesquisa pecuária municipal, ou PPM como é conhecida.

A diferença entre ambos os dados, em torno de 34 milhões de cabeças, supera o rebanho do México e da Austrália que ocupam, respectivamente, a oitava e a décima posição no ranking mundial de rebanhos bovinos, segundo a FAO (Food and Agricultural Organization), da Organização das Nações Unidas.

Ainda que o rebanho da Austrália seja o décimo maior do mundo, o país ocupa o quinto lugar no ranking de produção de carne bovina, também de acordo com a FAO. Essa comparação, sempre lembrada por diversos articulistas, nos serve para estabelecer o grau da seriedade da contradição entre as informações oficiais da pecuária brasileira.

Apesar de existirem diversas outras estimativas para o tamanho do rebanho brasileiro, não é lógico fugirmos dos dados do IBGE. É o único instituto que reúne informações suficientes para chegar o mais próximo possível da realidade. Os demais institutos, ou empresas privadas, não possuem orçamento e nem metodologia permanente para contabilizar o rebanho brasileiro.

Mesmo trabalhando com critérios rigorosos, e bem baseados para estimar o rebanho, não haveria como superar uma fonte pesquisada. Isso tudo aumenta a frustração em torno da divulgação de dados tão incoerentes sobre a mesma realidade.

Pois bem, o objetivo do texto é discutir o avanço da produtividade e não o tamanho do rebanho. Embora o tema seja de grande importância, muito já se falou sobre o assunto.

A mesma informação pesquisada pelo IBGE, que chegou ao rebanho de 171,6 milhões de cabeças bovinas no Brasil, identificou uma ocupação média de 0,93 hectare por bovino. Se o rebanho for realmente menor, estaríamos falando de uma área total de pastagens em torno de 159,6 milhões de hectares em 2006.

Todas as publicações e artigos consideram áreas de pastagens de 170 milhões a 220 milhões de hectares. A informação mais aceita é a área de pastagens em uso girando por volta de 175 milhões de hectares, além de outros 45 a 50 milhões de hectares degradados.

É outra informação que nos leva a questionar os dados do Censo de 2006. Pelo próprio censo anterior, realizado 10 anos antes, em 1996, estaríamos considerando uma redução da área da ordem de 17,9 milhões de hectares, frente a um aumento de rebanho da ordem de 18,5 milhões de cabeças.  Essa área é proporcional a todo o pasto do Estado de Goiás.

Sendo assim, é preciso estabelecer parâmetros e optar por uma ou outra fonte de informação que seja contundente e possibilite compreender o ocorrido na pecuária brasileira.

Considerando que os critérios para coleta de informações do Censo tenham sido seguidos na pesquisa, é possível considerar que o dado de ocupação da área, divulgado no Censo 2006, seja coerente.
Em outras palavras, estaríamos assumindo que o Censo foi eficiente no tratamento dos dados coletados, mas ineficiente em coletar os dados de todo o rebanho nacional. É uma hipótese.

Com isso, teríamos o rebanho de 2006 oscilando de 171,6 a 205,8 milhões de cabeças e a área de pastagens entre 159,6 e 175,5 milhões de hectares.

Observe, na figura 1, a evolução da ocupação da área de pastagens nos últimos censos agropecuários realizados entre 1940 e 2006.

Hoje, o rebanho mais aceito entre os profissionais da pecuária de corte é o apresentado pela pesquisa pecuária municipal (PPM), o qual continuaremos a adotar até que informações mais coerentes sejam divulgadas.

Considerando que a eficiência de uso de pastagens veio aumentando proporcionalmente ao indicado pelos históricos dos Censos agropecuários, em 2009 a ocupação da área pela pecuária seria em torno de 1,16 animais por hectare.

Projetando o rebanho de 2009 pela pesquisa pecuária municipal podemos estimar um rebanho de 203,6 milhões de cabeças ocupando uma área de 174,95 milhões de hectares.

Observe, a figura 2, como o rebanho continua crescendo, enquanto as pastagens estabilizam-se por um período e começam lentamente a recuar nos últimos anos.

O recuo é comprovado pelo avanço da agricultura em áreas de pastagens nos últimos anos.

Claramente, na figura, é possível notar a redução do rebanho nos anos de ciclo de baixa nos preços. Neste período houve um aumento no número de cabeças abatidas. Logo em seguida, o rebanho voltaria a aumentar tanto pela redução do abate como pela retenção de matrizes, consequência da virada do ciclo pecuário para o período de alta.

Com pouca alteração anual nos índices de natalidade, a oscilação do rebanho é relacionada com os movimentos de aumento ou redução do abate. Este, por sua vez, depende da produção de carne para atender a demanda.

Na figura 3 é apresentada a produção anual de carne bovina em mil toneladas de equivalente carcaça. A definição de equivalente carcaça é uma forma de padronizar toda a produção industrial em carcaças bovinas.

Sendo assim:

1 kg de carne em carcaça = 1 kg de equivalente carcaça;
1 kg carne desossada = 1 ,3 kg de equivalente carcaça;
1 kg de carne industrializada = 2,5 kg de equivalente carcaça.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Sua Propriedade - Artigos já Publicados

Bigma Consultoria
Boi sobe 6,5% em julho
02/08/2011

Bigma Consultoria
Competitividade do agro não é só o câmbio
30/06/2011

Bigma Consultoria
Agro e ambiente são inimigos?
24/05/2011

Bigma Consultoria
Confinamento custará 46% mais em 2011
23/03/2011

Gradual Investimentos
Liquidação de contratos futuros: tipos e características
15/02/2011

Bigma
Contribuições do Plantio Direto
10/02/2011

Gradual Investimentos
Estoque virtual
06/01/2011

Bigma Consultoria
Boi: um olhar para a última década e para as perspectivas
03/01/2011

Gradual Investimentos
Efeitos La Niña, safra 2010/11
22/11/2010

Bigma Consultoria
Arroba do boi em alta? O que fazer?
04/11/2010

Gradual Investimentos
Mercado de Opções Agrícolas: sua melhor forma de proteção
13/10/2010

Bigma Consultoria
Produção de Leite em São Paulo: por que perde espaço?
07/10/2010

Gradual Investimentos
Influência do clima nas cotações das bolsas: oportunidades
21/09/2010

Bigma Consultoria
Peso de abate, resultados e relação de troca
17/09/2010

Gradual Investimentos
Hedge de preços utilizando Mercados Futuros
13/08/2010

Bigma Consultoria
Margens dos produtores de leite em queda
02/07/2010

Bigma Consultoria
Rebanho brasileiro e perspectivas
14/06/2010

Bigma Consultoria
Cuidado com a alta dos preços
26/04/2010

Bigma Consultoria
Gestão através de indicadores internos
08/04/2010

Bigma Consultoria
O boi, a água e uma oportunidade
26/02/2010

Bigma Consultoria
Rumo à competitividade
28/01/2010

Senac
Sistema para gestão do espaço rural e avaliação da sustentabilidade através de indicadores
09/10/2009

Embrapa
Análise e melhoria de processo: avaliação dos impactos econômicos, sociais e ambientais de tecnologias da Embrapa Pecuária Sudeste
04/09/2009

Embrapa
O modelo pictórico, apresentado em três figuras: situação, reflexão e soluções
04/09/2009

Embrapa
Desempenho econômico de horta agroecológica em comunidade rural do Semi-Árido
02/09/2009

Embrapa
Princípios básicos para a produção econômica de leite
01/09/2009

Embrapa
Desempenho em confinamento e custos de produção do bovino jovem
01/09/2009

Embrapa
Estrutura dos contratos de integração na suinocultora de Santa Catarina
31/08/2009

Embrapa
Transação entre suinocultor e agroindústria em Santa Catarina
31/08/2009

Conteúdos Relacionados à: Agropecuária
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada