dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     06/08/2020            
 
 
    

No Estado de Santa Catarina, o milho é o produto de maior importância para a agropecuária, tanto em volume colhido quanto para a formação do valor bruto da produção. É estratégico no fornecimento de alimentos para a suinocultura e avicultura, que se configuram nas principais atividades supridoras de matéria prima para a agroindústria catarinense.

No contexto estadual a maioria dos agricultores utiliza sementes de milho híbrido, comprando-as anualmente; mas, é ainda expressivo o número de agricultores familiares que utilizam sementes de paiol, formadas por gerações avançadas de híbridos ou sementes de origem de variedades comuns sem nenhum melhoramento.
Uma das alternativas viáveis para a realidade destes agricultores é a utilização de variedades de polinização aberta. Os híbridos, em geral, são mais exigentes em relação à aplicação de tecnologia relativa à correção de acidez de solo, utilização de nutrientes, bom suprimento de umidade no solo, etc.; quase sempre, os agricultores familiares não dispõem de recursos financeiros para aplicá-la. Assim sendo, não conseguem explorar o potencial genético dos híbridos, prejudicando o rendimento da cultura.

O uso de variedades apresenta algumas vantagens sobre os híbridos comerciais, devido a sua constituição genética. Segundo Emygdio (2004), existem pelo menos três fatores que colocam as cultivares de milho de tipo varietal como uma excelente opção para agricultores familiares, geralmente descapitalizados e/ou de baixa tecnologia, que são: a) o baixo custo da semente, até cinco vezes menores que o custo da semente de uma cultivar híbrida; b) a possibilidade de produção de semente própria, pois, ao contrário dos híbridos, as variedades de milho não perdem o potencial produtivo quando semeadas na safra seguinte; e, c) a maior plasticidade das variedades sob condições de estresse.

Assim sendo, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri vem trabalhando com o melhoramento genético de milho, visando à criação de variedade de milho de polinização aberta para utilização pelos agricultores familiares catarinenses. O melhoramento genético consiste basicamente em aumentar as freqüências de genes superiores dentro da população a ser melhorada, através deum processo dinâmico, contínuo e progressivo, denominada a cada etapa como ciclo de seleção. Desta forma, procedeu-se a seleção de germoplasmas competitivos, tanto para rendimento de grãos como para as características agronômicas desejáveis.
Com as seleções de espigas nas populações e/ou compostos realizados anualmente, foram organizados novamente os experimentos para outro ciclo de recomendação e seleção. Com isso, conseguiu-se um aumento significativo dos alelos favoráveis dentro da população e após da sexta seleção (S6) iniciou-se as avaliações em experimentos de competição em vários locais do estado, com ambientes edafoclimáticos distintos. Para a multiplicação de sementes genéticas foram escolhidas as 40 melhores progênies e que deram origem à multiplicação da semente básica.

Este trabalho resultou na criação de mais duas novas variedades de milho de polinização aberta denominadas SCS 155 – Catarina e a SCS 156 – Colorado inscritas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) do Ministério de Agricultura que, juntamente com as variedades SCS 153 – Esperança e a SCS 154 – Fortuna, estão disponíveis para os  agricultores familiares catarinenses.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Everaldo A. Pereira
23/09/2010 - 10:43
Excelente matÚria!
Parabenizo o autor ao tempo em que solicito autorizaþÒo para utilizaþÒo/divulgaþÒo da mesma na disciplina Melhoramento de Plantas que ministro no Curso de Agronomia da Universidade de BrasÝlia.

Vitor Margarido
29/02/2016 - 09:56
Gostaria de ter informações sobre o milho "ratinho", antigamente usado em Portugal para fazer pão.

Para comentar
esta matéria
clique aqui
2 comentários

Agricultura Familiar - Artigos já Publicados

O uso dos dejetos de suínos como fertilizante
29/04/2013

Momento de reorganizar metas no agronegócio do leite
08/02/2012

A piscicultura nas propriedades familiares de Santa Catarina
20/07/2011

Erosão do solo: exemplo no campo e catástrofes nas cidades - Parte II
06/05/2011

Erosão do solo: exemplo no campo e catástrofes nas cidades - Parte I
04/03/2011

Modelo matemático para avaliar impactos do uso e ocupação do solo nos recursos hídricos em santa catarina
20/12/2010

Integração Lavoura-Pecuária: oportunidade ou novos problemas velhos?
11/11/2010

Controle Biológico Aplicado: alternativa para reduzir danos de lagartas no milho
17/09/2010

Kit semeadura de adubos verdes: distribuidor de sementes de adubos verdes acoplado à colhedora de milho
01/07/2010

Mercados de produtos coloniais da região oeste de Santa Catarina
14/04/2010

A Agricultura Familiar precisa dos jovens
12/03/2010

Importância da Agricultura Familiar II
26/02/2010

Importância da Agricultura Familiar I
09/01/2010

Conteúdos Relacionados à: Agricultura Familiar
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada