dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     24/06/2019            
 
 
    

A prática da aplicação de fogo a campo é muito comum como ferramenta de trabalho na agricultura. Utilizado principalmente na produção de culturas intensivas, como a cana-de-açúcar e o algodão, o fogo em áreas florestais prejudica a fauna e a flora. Por esta razão, o uso do fogo só pode ser realizado com a autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em áreas definidas e com isolamento prévio.

Os períodos de maior perigo para a prática das queimadas é quando a umidade do ar está relativamente baixa, entre junho e novembro. Por isso que, somente com a previsão meteorológica, se obtém uma estimativa de quando pode-se ou não fazer a queimada. Os dados meteorológicos podem ser obtidos com o uso de uma estação meteorológica automática na propriedade. O equipamento permite analisar o que está acontecendo no momento, com transmissão das informações em tempo real. Por meio dos dados coletados no aparelho, o produtor calcula se o fogo poderá se alastrar rapidamente e se o clima favorece a ocorrência de incêndios, evitando a prática naquele momento. Outro recurso que pode ser utilizado é com o controle da irrigação, que dependendo da cultura e da proporção do fogo, a irrigação pode retardar um possível incêndio.

É preciso alertar também que o fogo, tanto para fins agrícolas como florestais, altera a química da atmosfera e influi negativamente nas mudanças globais, tanto no efeito estufa como no tema do ozônio. Se de um lado a queimada facilita a vida de parte dos agricultores, trazendo benefícios a curto prazo, de outro, ela afeta negativamente a biodiversidade e a dinâmica dos ecossistemas. Como efeito direto, a queimada aumenta o processo de erosão do solo e deteriora a qualidade do ar. Outras técnicas deveriam ser priorizadas para o ajuste da qualidade do solo para cultivo.

Muitos agricultores não sabem, mas existem normas para a realização de uma queimada controlada, que precisam ser respeitadas. Os infratores estão sujeitos às penas previstas nos artigos 14 e 15 da Lei 9.605 (Lei de Crimes Ambientais). As penas podem chegar à prisão e multas.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento possui os Dez Mandamentos da Queimada Controlada, voltados para a prática na agricultura. Para se queimar com racionalidade, é preciso segui-lo.
 
1- Obter autorização do Ibama para queima controlada. Documentos necessários: a) comprovante de propriedade ou de justa posse do imóvel onde se realizará a queima; b) cópia da autorização de desmatamento quando legalmente exigida; c) comunicação de queima controlada.
 
2 - Reunir e mobilizar os vizinhos para fazer queimada controlada e em mutirão, de maneira que um possa ajudar o outro. Assim, o calor será menor e o solo será menos impactado com a temperatura.
 
3 - Evitar queimar grandes áreas de uma só vez, pois as distâncias dificultam o controle do fogo.
 
4 - Fazer aceiros, observando as características do terreno e altura da vegetação. Em terreno inclinado, o fogo se alastra mais rapidamente, devendo-se construir valas na parte mais baixa para evitar que o material em brasa saia da área queimada. A largura dos aceiros deve ser 2,5 vezes a altura da vegetação em regiões de pastagens e/ou Cerrado ou, no mínimo, 3 metros, para o caso de queima controlada.
 
5 - Limpar completamente o aceiro, sem deixar restos de folhas ou paus, de qualquer natureza, no meio da faixa.
 
6 - Prestar atenção à força e direção do vento, à umidade e às chuvas. Só queimar quando o vento estiver fraco. Nunca comece um fogo na direção contrária dos ventos. Inicie no sentido dos ventos. Se a queima for realizada após as primeiras chuvas, é possível evitar o risco do fogo escapar e evitar os danos causados pelo acúmulo de fumaça no ar.
 
7 - Queimar em hora fria. No início da manhã, no final da tarde, ou à noitinha, é mais seguro, pois a temperatura é mais baixa e a vegetação está mais úmida.
 
8- Nunca deixe árvores altas, sem serem cortadas, no meio da área a ser queimada. Elas demorarão a queimar, permitindo que o vento jogue fagulhas à distância, provocando incêndios em áreas vizinhas, sobretudo, se forem pastagens.
 
9 - Permaneça na área da queimada, após o fogo, pelo menos, por duas horas, a fim de verificar se não haverá pequenos focos de incêndio, na vizinhança, provocados pelos ventos.
 
10 - Tenha sempre disponível, para ser utilizado, em caso de ter de controlar o fogo, o seguinte material: a) enxada; b) abafador; c) foice; d) bomba costal; e) baldes com água.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Edmar Viana de Freitas
29/09/2012 - 13:05
Sobre as queimadas no Brasil...
Além das causas conhecidas e hipotéticas de queimadas, como as "bitucas de cigarro", existe aquela que surge nas margens das rodovias. Estas são causadas por FULIGEM incandescente que sai dos escapamentos dos ônibus e caminhões que se encontram com o motor desregulado. Vejam no Google " Queimadas no Brasil: Causa real nas rodovias" Edmar- Itabira- MG

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Ferramentas Gerenciais - Artigos já Publicados

Sangha Investments
Serviços ecossistêmicos: oportunidades reais para o campo
22/11/2011

Prodap
Gestão familiar no agronegócio
03/11/2011

Sangha Investments
Programa ABC: maior inovação e competitividade no campo
25/10/2011

Prodap
A importância da capacitação da mão de obra como diferencial
13/10/2011

Sangha Investments
Pecuária Sustentável
27/09/2011

Prodap
A gestão e o agronegócio no Brasil
08/09/2011

I9 Campo
Importância do planejamento
23/08/2011

I9 Campo
Controles internos
07/07/2011

Ag Solve
Água: símbolo de vida e de morte
29/03/2011

Ag Solve
A importância da detecção e alerta de descargas atmosféricas
03/02/2011

I9Campo
Equilíbrio solo-planta: uma visão da I9Campo
24/01/2011

AG Solve
Você sabe o que é hidrologia florestal?
29/12/2010

I9Campo
Inovações tecnológicas e eficiência do processo produtivo
02/12/2010

Ag Solve
Usinas e agroindústrias precisam de monitoramento meteorológico constante
30/11/2010

Ag Solve
Raios: uso de tecnologia evita mortes e prejuízos
22/10/2010

AG Solve
Como irrigar corretamente a plantação?
27/08/2010

AG Solve
Tecnologia diminui desperdício de água na produção
09/06/2010

AG Solve
Cultura monitorada proporciona maior garantia de lucro
13/05/2010

AG Solve
A agricultura inteligente
22/03/2010

AG Solve
A importância do monitoramento da umidade do solo na agricultura
02/02/2010

AG Solve
Como evitar que as mudanças climáticas reduzam o lucro dos agricultores?
18/12/2009

AG Solve
A importância da meteorologia para produção de Bioenergia
23/10/2009

Conteúdos Relacionados à: Agronegócio
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada