dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     05/08/2020            
 
 
    
Bovinos      
Subdosagem pode provocar resistência a carrapaticidas
Produtores devem seguir dose recomendada de cada produto e aplicar o tratamento adequadamente para atingir penetração total
Ouça a entrevista Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Juliana Royo
29/09/2010

Os carrapatos são um grande problema para os bovinos. Os parasitas se alimentam do sangue do animal, causando estresse e anemia e provocando a perda de peso e de produção de carne ou leite. Pode ocorrer também a desvalorização do couro em função dos danos causados pelos carrapatos. Para evitar estes prejuízos, os produtores já estão acostumados a utilizar carrapaticidas, mas muitos fazem mal uso dos tratamentos e colaboram para a resistência dos princípios ativos, tornando cada vez mais difícil o controle dos parasitas.

A subdosagem é o principal problema gerado porque ele provoca uma redução no intervalo de aplicação dos produtos e faz com que os carrapatos se tornem resistentes aos remédios, ao longo do tempo. O que está acontecendo hoje em dia é que a pesquisa não consegue acompanhar a velocidade de resistência dos carrapatos, ou seja, existem cada vez menos bases químicas disponíveis no mercado. O que os produtores têm que fazer é prestar muita atenção às características de cada produto, ao tipo de tratamento utilizado e, principalmente, à dose recomendada.

— É importante que os produtores fiquem atentos para que cada vez mais, hoje em dia, os números de bases químicas de princípios-ativos do controle do carrapato do bovino estão sendo reduzidos. O processo de resistência se instala com o tempo e o surgimento de novas bases químicas que possam ser usadas para substituir as existentes estão cada vez mais escassas. Então, é necessário saber usar corretamente as bases químicas que ainda nos restam. Se a dose for inferior, as aplicações não serão suficientes e nós vamos reduzir o intervalo entre os tratamentos. Para um controle efetivo temos que levar em consideração o ciclo de desenvolvimento deste parasita que, normalmente, é em torno de 21 dias. É preciso levar em conta também as características climáticas da região porque uma estratégia de controle deve considerar a melhor época de tratamento — explica a médica-veterinária e doutora em parasitologia animal Cláudia Gulias Gomes, pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul.

A doutora em parasitologia animal também diz que os cuidados de manejo no pasto e com a nutrição são importantes. Uma alimentação equilibrada melhora o sistema imunológico fazendo com que o animal combata de forma mais intensa a infestação e não seja tão afetado pelos parasitas. A lotação do pasto também deve ser respeitada porque quanto maior o número de animais concentrados no mesmo local mais rápida será a infestação dos carrapatos que terão mais hospedeiros para se multiplicarem.

— Cada forma de aplicação tem suas qualidades e desvantagens. Temos que estar atentos às características de cada uma para evitar subdosagem. Se estamos usando um carrapaticida para banheiro de imersão temos que nos preocupar em fazer a imersão dessa calda quando baixar o nível do banheiro e homogenizar bem a calda. Se for um banheiro de aspersão é necessários que os bicos estejam sempre limpos para que o jato tenha força suficiente para penetrar no pelo do animal. No caso dos injetáveis, o ideal é calcular com maior precisão possível as doses conforme o peso dele. A superdosagem também é um problema porque pode ocorrer intoxicação do animal, dependendo da base química. Não há nenhuma comprovação quanto ao favorecimento do processo de resistência do princípio ativo, mas é um desperdício usar concentrações acima do que é necessário — alerta.

Clique aqui, ouça a íntegra da entrevista concedida com exclusividade ao Jornal Dia de Campo e saiba mais detalhes da tecnologia.
Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Parasitas
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada