dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     22/11/2019            
 
 
    
Saúde do Solo e Sustentabilidade    
A diversidade microbiana e a qualidade dos solos agrícolas
Trabalhos recentes chegaram a encontrar, em apenas um grama de solo, mais de 50 mil diferentes sequências de DNA de bactérias
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Fábio Bueno e Iêda Mendes
05/10/2010

A ciclagem de nutrientes, a promoção do crescimento de plantas, a biorremediação de ambientes poluídos e o controle biológico de pragas e doenças vegetais são algumas das funções que residem em meio à diversidade genética e metabólica dos microrganismos do solo. Além disso, uma fantástica quantidade de genes com potencial biotecnológico, que podem gerar desde fármacos a enzimas para produção de bioenenergia, está disponível no solo para ser explorada. Um exemplo curioso e singular do arsenal de possibilidades que as bactérias do solo possuem foi apresentado esse ano no Encontro da Sociedade Americana de Microbiologia. Pesquisadores descobriram que uma dessas bactérias, a Mycobacterium vaccae, tem o potencial de estimular a formação de neurônios e melhorar a capacidade de aprendizado. Para chegar a essas conclusões, a capacidade de camundongos alimentados com a bactéria em percorrer um labirinto foi comparada com a de outros camundongos que não receberam a M. vaccae em sua dieta. O resultado mostrou que os camundongos que receberam o tratamento com a bactéria concluíram o percurso mais rápido e demonstraram menos sintomas de ansiedade. A pesquisa indica que o contato com esse microrganismo pode desempenhar um papel relevante na redução da ansiedade e melhoria da capacidade de aprendizagem dos mamíferos e sugere maior exposição a ambientes naturais.

Apesar de sua importância e gigantesco potencial, a diversidade microbiana do solo ainda é pouco conhecida. Embora menos óbvia ela é tão relevante quanto a diversidade de plantas e animais. Porém, como nós não enxergamos os microrganismos, os impactos na diversidade microbiana, na maioria das vezes, passam despercebidos. Um bom exemplo disso é que ainda não encontramos o nome de nenhum microrganismo na lista de espécies ameaçadas de extinção e isso ainda vai demorar um bom período de tempo para acontecer, dada a complexidade que envolve o estudo desses seres microscópicos (a grande maioria deles não cresce em meio de cultura nos laboratórios). O advento de novas técnicas moleculares tem permitido identificar que o número de espécies microbianas presentes no solo é bastante superior ao estimado com base em técnicas tradicionais de cultivo em meio de cultura nos laboratórios. Trabalhos recentes chegaram a encontrar, em apenas um grama de solo, mais de 50.000 diferentes sequências de DNA de bactérias, das quais 90-99% não são conhecidas, um verdadeiro universo paralelo.

Isso tudo é muito interessante, mas onde se encaixa a questão da diversidade microbiana dentro do tema principal de nossa coluna, a saúde/qualidade do solo? Sabendo-se que os microrganismos são parte integrante da qualidade do solo, um melhor entendimento da dinâmica e estrutura das comunidades microbianas pode nos ajudar a compreender melhor o impacto dos diferentes sistemas agrícolas no funcionamento biológico do solo. Por exemplo, quando convertemos uma área nativa de cerrado para um plantio de soja ocorrem perdas da diversidade microbiana semelhantemente ao que ocorre com as plantas e animais? Essas perdas são relevantes? Perdemos espécies que eram únicas? Essas perdas poderiam acarretar perdas de alguma função do solo (por exemplo, degradação de algum composto agroquímico)? Enfim, são muitas perguntas, boa parte ainda sem uma resposta clara. No entanto, na última década, com o auxílio de novas ferramentas para estudos em ecologia microbiana, diversos trabalhos científicos têm se dedicado a esclarecer essas questões e um volume considerável de informações sobre a diversidade microbiana do solo em áreas agrícolas já está disponível, inclusive aqui no Brasil.

Em um recente trabalho publicado em parceria com nossos colegas da UFRJ e Embrapa Agrobiologia, a estrutura das comunidades bacterianas foi avaliada e diferenças nas populações desses microrganismos, em resposta a diferentes sistemas de manejo do solo, foram encontradas. Nossos resultados sugerem que o solo sob plantio direto, quando comparado ao plantio convencional, apresenta uma estrutura da comunidade bacteriana mais similar à presente sob Cerrado nativo. Acredita-se que o sistema de plantio direto possa ser capaz de criar condições ambientais necessárias para o restabelecimento da população microbiana nativa, impactada negativamente pela degradação do solo em resposta ao manejo agrícola convencional. Adicionalmente, observamos que o plantio direto também apresentou maior índice de diversidade quando comparado ao plantio convencional. Além disso, talvez o resultado mais interessante desse trabalho tenha sido a forte correlação das analises envolvendo a estrutura genética das comunidades bacterianas do solo com as análises que englobavam outros atributos (químicos e biológicos) relacionados à qualidade do solo.

Embora esses estudos ainda não sejam suficientes para compreender toda a dinâmica e funcionalidade da diversidade microbiana dos solos sob diferentes sistemas de manejo agrícola, são parte de um conjunto importante de informações que poderão nos ajudar a conduzir uma agricultura mais sustentável no futuro.
 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Saúde do Solo e Sustentabilidade - Artigos já Publicados

Microrganismos do solo e a sustentabilidade dos agroecossistemas
25/11/2013

Microrganismos e seu uso como bioindicadores em sistemas de Plantio Direto e convencional - Parte I
29/10/2013

Microbiologia e qualidade do solo em sistemas de cultivo orgânico
02/07/2013

Reinoculação e adubação nitrogenada na soja: dois temas recorrentes
09/04/2012

Fixação biológica de nitrogênio na soja: bom para a qualidade do solo, para o bolso do agricultor e para o Brasil
08/11/2010

É possível quantificar a qualidade do solo?
25/08/2010

Microrganismos do solo e sustentabilidade agrícola
08/07/2010

Microrganismos e seu uso como bioindicadores em sistemas de Plantio Direto e convencional - Parte II
09/04/2010

O uso dos microorganismos como bioindicadores para avaliar qualidade dos solos agrícolas
10/02/2010

A saúde do solo e a sustentabilidade dos agroecossistemas
17/11/2009

Conteúdos Relacionados à: Agricultura Sustentável
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada