dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     21/10/2020            
 
 
    

Pressões legislativas, barreiras comerciais e a crescente preocupação dos consumidores acarretaram na redução da utilização de aditivos antibióticos na alimentação animal, fato inicialmente ocorrido na Europa, agora com proporções globais. Em produção de aves e suínos há a necessidade de promotores de crescimento alternativos que sejam economicamente viáveis, sustentáveis e multifuncionais. Os acidificantes têm ganhado destaque principalmente por minimizar problemas sanitários e potencializar a digestão e absorção da dieta em algumas fases críticas, conduzindo a um melhor desempenho e saúde como um todo.

Os acidificantes estão inseridos no grupo dos aditivos equilibradores da microbiota do trato gastrintestinal, composto por ácidos orgânicos ou inorgânicos que reduzem o pH do meio, com o objetivo de facilitar a digestão e reduzir a proliferação de microrganismos indesejáveis. Os ácidos orgânicos são constituintes de plantas e animais que contém uma ou mais carboxilas em sua molécula. Em produção animal, o termo refere-se aos ácidos fracos de cadeia curta (C1-C7) que produzem menor quantidade de prótons por molécula ao se dissociarem. Podem ser utilizados também na forma de sais ou ésteres.

Há muito tempo, os ácidos orgânicos são amplamente utilizados na indústria alimentícia e nutrição animal, como conservantes de grãos e rações, prevenindo fungos e umidade. Versáteis, hoje também são usados como acidificantes de cama, sanitizantes de carne (aumenta o shelf-life do produto após processamento), e principalmente como aditivo nutricional promotor de crescimento.

Os ácidos orgânicos atualmente disponíveis no mercado encontram-se na forma líquida ou pó, oferecida via água ou ração. No mercado atual, observam-se alguns ácidos orgânicos livres, que tendem a atuar na porção anterior do trato gastrintestinal, e outros protegidos por uma matriz de triglicerídios, os quais sofrem a ação de sais biliares e lipases, liberando os ácidos a partir do intestino delgado, sem interferência das enzimas pancreáticas e intestinais. O objetivo a ser alcançado é o equilíbrio da microbiota de intestino grosso com menor produção de gases e nitrogênio, bem como o aumento de bactérias produtoras de ácidos graxos voláteis.

Existem inúmeras hipóteses quanto aos mecanismos de ação dos acidificantes, dentre as quais merecem abordagem: a alteração da microbiota intestinal por ação bactericida ou bacteriostática; redução do pH estomacal (suínos) ou do papo (aves); melhor atividade de enzimas; melhor digestibilidade e retenção de nutrientes; qualidade intestinal, fatores que podem influenciar num bom desempenho do animal. Alguns estudos já mostram evidências de que os ácidos orgânicos podem substituir alguns antibióticos (Gráficos 1 e 2).

Gráficos 1 e 2: Efeito do uso de ácidos orgânicos (mistura de ácido fumárico, cítrico, lático e fórmico) na ração sobre o ganho de peso (GP) e conversão alimentar (CA) de frangos de 1 a 21 dias de idade. Experimento realizado no Laboratório de Estudos e Pesquisa em Produção e Nutrição de Animais Não-Ruminantes (LEPNAN), da Universidade Federal do Paraná (UFPR, Curitiba/PR):

T1 – 10 ppm Promotor de crescimento / Com Anticoccidiano (controle positivo)
T2 – Sem  Promotor de crescimento / Sem  Anticoccidiano  (controle negativo)
T3 – Sem  Promotor de crescimento / Sem  Anticoccidiano  / Com Acidificante
T4 – Sem  Promotor de crescimento  / Com  Anticoccidiano  / Com Acidificante

 Letras diferentes indicam diferença significativa

Tanto em aves quanto suínos, a atividade antimicrobiana é semelhante. Sabemos que podem reduzir o pH do meio gastrintestinal, eliminando grande parte das bactérias patogênicas e selecionando as benéficas, as quais sobrevivem em pH ácido. Porém, sua principal ação antimicrobiana acontece sem reduzir o pH do meio. Ácidos orgânicos são facilmente absorvidos pela parede célular das bactérias. Uma vez na célula, a porção aniônica do ácido danifica a estrutura do DNA no núcleo das células e, consequentemente, as bactérias não se dividem ou morrem. A porção catiônica liberada dos ácidos reduz o nível do pH da célula, obrigando a célula bacteriana a utilizar sua energia para liberar os prótons, levando a uma exaustão celular.

Em suínos, o interesse principal em utilizar acidificantes é na fase de desmama, pelo fato de que leitões têm produção inadequada de ácido clorídrico e baixa capacidade em manter o pH gástrico adequado nessa fase. Durante o aleitamento, o ácido lático é produzido por bactérias as quais utilizam a lactose do leite da porca como substrato. Com a mudança da dieta do leite para a ração, há proliferação de outros microrganismos que geralmente desencadeiam resultados negativos sobre o desempenho do leitão. Ácidos orgânicos ajudam a manter o pH gástrico estabilizado, melhoram a digestão de proteínas, estimulam secreção de bicarbonato e enzimas pancreáticas, que podem auxiliar o processo de esvaziamento gástrico e na absorção de nutrientes no intestino. Devido sua ação antimicrobiana, previne algumas enteropatias como Lawsonia intracellularis, Clostridium sp., E. coli.

Em aves, também auxiliam na redução do pH, beneficiando a ação da pepsina para digestão e absorção de nutrientes, mas sua principal função é a modelação da microbiota do trato gastrintestinal. O papo ou inglúvio (dilatação do esôfago), tem um pH próximo a 5,5, ambiente propício ao crescimento de algumas bactérias acidófilas indesejáveis como a Salmonella sp., que atingem o intestino após vencerem a barreira do papo. O uso de ácidos orgânicos livres aumenta a acidez nesse local e diminui a colonização de bactérias patogênicas e favorece outras bactérias benéficas como Lactobacillus sp.

Os ácidos ôrgânicos têm papel predominante na redução de microrganismos como Escherichia coli, Campylobacter spp. e principalmente Salmonella sp., considerada o um dos principais problemas sanitário avícola atual. Muitos estudos indicam que ácidos orgânicos são uma excelente alternativa no controle dessa enfermidade bacteriana (Gráfico 3).
 
Gráfico 3: Contagem de Salmonella Enteritidis em papos de frangos de corte. Experimento realizado no Laboratório de Microbiologia e Ornitopatologia (LABMOR) da Universidade Federal do Paraná (UFPR, Curitiba/PR):

 


Letras diferentes indicam diferença significativa

Práticas de acidificação via água são comuns apenas na fase que antecede o abate, com o objetivo de prevenção na contaminação de carcaças no abatedouro. Entretanto, sabe-se que os efeitos da alteração da microbiota ocorrem não apenas no papo, mas também em toda a extensão intestinal, sendo importante a adoção estratégica de uso contínuo durante todo o período de produção de frangos de corte.

Os resultados do uso dos ácidos orgânicos na alimentação dos animais são dependentes da concentração e das combinações dos ácidos empregados bem como da capacidade tamponante da dieta utilizada. Assim, percebemos a importância do uso de blends de ácidos orgânicos, pois cada classe (butírico, cítrico, fórmico, fumárico, lático, propiônico, entre outros) possui uma determinada função, potencial de dissociação e local de atuação. 

Diversos autores também afirmam que os ácidos orgânicos estimulam o desenvolvimento da mucosa intestinal. Possuem ação trófica sobre a estrutura e o desenvolvimento intestinal, aumentando o tamanho dos vilos, profundidades de criptas, massa intestinal e área de absorção de nutrientes.

Ácidos orgânicos têm mostrado excelentes resultados tanto em condições experimentais como no campo. Suas combinações, bem como o uso de outros aditivos alternativos como enzimas, probioticos, prebioticos, extratos, óleos vegetais e imunomoduladores são candidatos com alto potencial na substituição dos antibióticos.  Outros estudos devem ser realizados com diversas combinações dos aditivos citados, sempre levando em consideração as necessidades e os desafios sanitários existentes no campo.

 

 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Érika Magalhães
14/08/2019 - 08:06
Como calcular a dose do aditivo acidificante em função da dureza e pH da água?

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Sanidade Animal - Artigos já Publicados

Sanex
Ambiência: uma preocupação da avicultura brasileira
16/02/2012

Ourofino
A importância do consumo da carne vermelha
02/02/2012

Sanex
Criação de bezerras: Como prevenir diarreias e melhorar resultados com o uso de eletrólitos
05/01/2012

Sanex
O uso dos eletrólitos na produção de aves
01/12/2011

Ourofino
Novos desafios da produção leiteira
24/11/2011

Sanex
Ácidos orgânicos e Salmonella
06/10/2011

Ourofino Agronegócio
Doença respiratória de bovinos
20/09/2011

Ourofino Agronegócio
Confinamento bovino
09/08/2011

Ourofino Agronegócio
Febre do leite
12/07/2011

Ourofino
Boas práticas de vacinação
19/04/2011

Ourofino
Berne/Dermatobiose (Dermatobia hominis)
01/03/2011

Ourofino Agronegócio
Stomoxus calcitrans: mosca dos estábulos
19/01/2011

Novartis
Efeitos das parasitoses sobre a reprodução bovina
17/01/2011

Ourofino
Boas práticas de ordenha
07/12/2010

Novartis
Mosca-do-estábulo: problema em área rural
05/11/2010

Ourofino
Um mal silencioso
25/10/2010

Novartis
Controle do carrapato: por que se deve “quebrar” as gerações?
01/10/2010

Ourofino
Controle estratégico da verminose dos bovinos
23/09/2010

Syntec
Utilização de maleato de acepromazina em laminite
08/09/2010

Novartis
O médico veterinário e a área comercial
02/09/2010

Merial Saúde Animal
Controle parasitário em bovinos leiteiros - Parte II
01/09/2010

Ourofino
Planejamento e organização de medicamentos contribuem no combate às doenças no rebanho
25/08/2010

Ourofino
IATF: um atalho para maior produtividade
12/08/2010

Merial
Programa de Controle Parasitário Estratégico Integrado das Parasitoses
11/08/2010

Syntec
Importância da gentamicina no tratamento de mastite em búfalas
10/08/2010

Novartis
Problemas causados por roedores em áreas rurais
30/07/2010

Syntec
Importância da diarreia em bezerros
28/07/2010

Ourofino
Pneumonia Bovina
21/07/2010

Tortuga
Produção de volumoso
19/07/2010

Novartis
O teste de sensibilidade aos carrapaticidas e suas vantagens
12/07/2010

Vallée
Qualidade do Leite
08/07/2010

Novartis
Produção Animal: Bases Fisiológicas da Produtividade
16/06/2010

Merial
Controle parasitário em bovinos leiteiros - parte I
15/06/2010

Ourofino
Manejo Sanitário na seca: momento decisivo!
08/06/2010

Syntec
Considerações sobre as cirurgias abdominais com equino em posição quadrupedal
02/06/2010

Pfizer
Diarreia neonatal: inimiga do bezerro, prejuízo para o produtor
27/05/2010

Vallée
Intoxicação em animais domésticos
21/05/2010

Merial Saúde Animal
Época da desmama exige cuidados sanitários e de manejo
18/05/2010

Novartis
Resistência aos carrapaticidas: um fantasma recorrente
14/05/2010

Novartis
Problemas causados pelas moscas domésticas na produção animal
11/05/2010

Pfizer
Importância do controle estratégico e integrado de parasitas
07/05/2010

Ourofino
Qualificação no campo contribui para a prevenção da mastite
04/05/2010

Syntec
O que é Síndrome Metabólica Equina?
30/04/2010

Vallée
Uso correto de vacinas e vacinações
23/04/2010

Merial
Controle de clostridioses em confinamento
19/04/2010

Ourofino
A sanidade no foco das discussões
16/04/2010

Syntec
Artrite infecciosa (Artrite Séptica): Uma ameaça para equinos atletas
12/04/2010

Pfizer
Doenças infecciosas em suínos
07/04/2010

Novartis
Fundamentos da mastite bovina e seus impactos na produção
06/04/2010

Vallée
Como tratar e identificar a Tristeza Parasitária Bovina
30/03/2010

Ourofino
Mastite bovina: Higiene pode evitar a doença
12/03/2010

Pfizer
Controle da coccidiose em aves evita queda de produção
11/03/2010

Syntec
Cesárea em vacas: Sim ou Não?
10/03/2010

Vallée S.A
Manejo do Neonato
08/03/2010

Merial Saúde Animal
Casos subclínicos de mastite podem colocar em risco sanidade do rebanho
24/02/2010

Novartis
Espiroquetose Intestinal Aviária: Uma realidade brasileira
23/02/2010

Ourofino
Um problema ambiental chamado Stomoxys Calcitrans (Mosca dos Estábulos)
15/02/2010

Syntec
Treinamento sob Tranquilização. É possível?
12/02/2010

Pfizer
Selante interno: ferramenta importante no controle da mastite
08/02/2010

Merial Saúde Animal
Manejo e controle sanitário são fundamentais na criação de equinos
04/02/2010

Vallée S/A
Verminoses causam grandes prejuízos ao produtor
30/01/2010

Tortuga
A importância da utilização da oxitetraciclina na clínica veterinária
29/01/2010

Novartis
Efeitos na produção e controle das para das parasitoses bovinas
23/01/2010

Real H
Otimizando a atividade leiteira através da Homeopatia Populacional
19/01/2010

Merial
Controle da Bronquite Infecciosa nos plantéis aviários brasileiros ainda é um desafio
18/01/2010

Pfizer
Doenças reprodutivas causam perdas em gado de corte
08/01/2010

Vallée
Clostridioses em Bovinos
22/12/2009

Novartis
Moscas domésticas: um risco subestimado à produção
22/12/2009

Ourofino
A importância da estação de monta no sistema de produção de bovinos de corte
22/12/2009

Pfizer
Um bom começo
10/12/2009

Merial
Ingestão de colostro pelos leitões é o primeiro passo para uma perfeita resposta imune
09/12/2009

Ourofino
Prejuízo com mosca-dos-chifres no rebanho brasileiro pode chegar a US$ 150 milhões por ano
03/12/2009

Novartis
Medicação via água na Suinocultura
03/12/2009

Pfizer
Inseminação Artificial em Tempo Fixo aumenta produtividade em fazendas
11/11/2009

Merial
Calendário sanitário nas fazendas garante lucro, eficiência e bem-estar animal
23/10/2009

Novartis
A importância do controle das verminoses
23/10/2009

Ourofino
Clostridioses
21/10/2009

Conteúdos Relacionados à: Nutrição Animal
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada