dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     17/11/2017            
 
 
    

Em todo mundo, especialistas apontam que mais de cerca de 90% das empresas sejam familiares e, no agronegócio, essa tendência também pode ser comprovada sendo a maioria das empresas rurais consideradas negócios familiares. 

No entanto, a gestão de uma empresa familiar é um desafio para todos os envolvidos, uma que vez que as relações familiares, geralmente mais emocionais, se misturam com os papéis profissionais que exigem maior racionalidade para a tomada de decisões. 

Segundo dados do IBGE, a cada 100 empresas familiares, 30 chegam à segunda geração e apenas 5 alcançam a terceira geração. Por que isso acontece? A resposta esta justamente na incompatibilidade de valores e procedimentos praticados nesses diferentes ambientes.
 
Caso você atue em uma empresa familiar, negócio no qual o poder decisório é transferido de maneira hereditária a uma ou mais famílias, ou atue em empresas que seguem as mesmas características da gestão familiar em seu “modus operandi”, esteja atento a alguns pontos críticos que serão fundamentais para garantir o sucesso e a sobrevivência da sua organização:
 
Ausência de Planejamento Estratégico: é raro encontrarmos uma empresa rural com algum planejamento estratégico, sendo que a maioria ainda trabalha com as mesmas diretrizes de seus fundadores. 
 
Conhecimento gerencial baixo: é quase inexistente o conhecimento e a aplicação dos conceitos gerenciais no campo, com definição e indicadores de metas. Na maioria das vezes, é o sentimento que predominas na tomada de decisões.
 
Centralização do comando: é comum observarmos que o comando do negócio ainda se mantêm na mãos do fundador ou que este seja um influenciar nas decisões, dependência que potencializa o risco desta empresa se manter ao longo do tempo. 
 
Indicação de cargos sem análise das competências: os cargos estratégicos são preenchidos, na maiorias das vezes, por filhos e/ou parentes próximos sem os mesmo possuírem as competências necessárias para o desempenho de suas funções.
 
Mistura do ambiente familiar e do profissional: muitos dos desacordos familiares começa em casa, por motivações pessoais, e continuam na empresa, interferindo nos processos da organização.
     
Dificuldade de separação do emocial e o racional: a indefinição no estabelecimento dos cargos e funções dos familiares que estão atuando na empresa faz com que a hierarquia não fica muita bem definida e toda a equipe sofre com essa confusão. Além disso, existe uma tendência de proteção da equipe mais antiga, gerando um ambiente de baixa motivação aos demais.
 
Insatisfações com a renda: as distribuições de renda entre os familiares normalmente são grandes assuntos para discussão, gerando atritos entre os membros da família.
 
Inexistência de plano de sucessão: a dificuldade de entregar a direção dos negócios não favorece a preparação do sucessor. Na maioria das vezes, a família se vê obrigada a executar essa transição apenas quando o fundador não pode mais desempenhar sua funções, gerando prejuízos para a organização devido à falta de experiência e o desconhecimento do negócio.
 
Baixa inovação do negócio: a inovação fica comprometida pela dificuldade de  superar velhos paradigmas, o que pode gerar inclusive um sentimento de impotência nos filhos que acabam se desligando da empresa. 
 
Todos estes fatores contribuem para a perda de competitividade da empresa no ambiente de negócios. Na medida em que a empresa cresce, a gestão precisa se profissionalizar e evoluir para um novo patamar de forma a garantir a continuidade da organização.
 
Nesse sentido, é preciso que os fundadores se conscientizem destes desafiso e implementem um choque de gestão em seu ambiente de trabalho, com o objetivo de definir melhor suas estratégias, aumentar a rentabiliade e garantir a perpetuação da empresa. 
 
Para isso, será preciso, entre outras coisas, definir claramente as funções dos familiares na gestão da propriedade, reestruturar o quadro organizacional com definições claras de autoridade e responsabilidade, capacitar herdeiros e sucessores e criar um conselho administrativo com a participação familiar. 
 
A solução é, sem dúvida, a busca do amadurecimento gerencial de suas atividades e o Brasil precisará dessa maturidade das empresas familiares para nos tornamos mais competitivos no agronegócio mundial.
 
 
Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Siniva Lima
20/09/2012 - 11:15
É um comentário de muita importância para mim, uma vez que estou fazendo um projeto para ingressar no mestrado da UFPE, agora estou me sentindo mais segura, pois, ampliou muito mais o meu objetivo. Obrigada

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Ferramentas Gerenciais - Artigos já Publicados

Sangha Investments
Serviços ecossistêmicos: oportunidades reais para o campo
22/11/2011

Sangha Investments
Programa ABC: maior inovação e competitividade no campo
25/10/2011

Prodap
A importância da capacitação da mão de obra como diferencial
13/10/2011

Sangha Investments
Pecuária Sustentável
27/09/2011

Prodap
A gestão e o agronegócio no Brasil
08/09/2011

I9 Campo
Importância do planejamento
23/08/2011

I9 Campo
Controles internos
07/07/2011

Ag Solve
Água: símbolo de vida e de morte
29/03/2011

Ag Solve
A importância da detecção e alerta de descargas atmosféricas
03/02/2011

I9Campo
Equilíbrio solo-planta: uma visão da I9Campo
24/01/2011

AG Solve
Você sabe o que é hidrologia florestal?
29/12/2010

I9Campo
Inovações tecnológicas e eficiência do processo produtivo
02/12/2010

Ag Solve
Usinas e agroindústrias precisam de monitoramento meteorológico constante
30/11/2010

Ag Solve
Raios: uso de tecnologia evita mortes e prejuízos
22/10/2010

AG Solve
Como irrigar corretamente a plantação?
27/08/2010

AG Solve
Estação meteorológica reduz risco da prática da queimada na agricultura
17/08/2010

AG Solve
Tecnologia diminui desperdício de água na produção
09/06/2010

AG Solve
Cultura monitorada proporciona maior garantia de lucro
13/05/2010

AG Solve
A agricultura inteligente
22/03/2010

AG Solve
A importância do monitoramento da umidade do solo na agricultura
02/02/2010

AG Solve
Como evitar que as mudanças climáticas reduzam o lucro dos agricultores?
18/12/2009

AG Solve
A importância da meteorologia para produção de Bioenergia
23/10/2009

Conteúdos Relacionados à: Agronegócio
Palavras-chave

 
22/11/2017
Curso de Metodologias para Determinação da atividade microbiana do Solo
Londrina - PR
14/03/2018
V Simpósio de Produção Animal e Recursos Hídricos - V SPARH
São Carlos - SP

21/11/2017
Curso de processamento de mandioca
Cruz das Almas - BA

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada