dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     16/07/2018            
 
 
    
Agricultura Sustentável    
Qualidade e sustentabilidade no Agro
Brasil é visto como a "fazenda do mundo", o país que mais vai contribuir para atender a demanda crescente por alimentos. Mas não basta a quantidade produzida, é essencial qualidade
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
José Otavio Menten
30/01/2013

Uma avaliação positiva da qualidade de diversos alimentos produzidos no Brasil foi apresentada pelo Ministério da Agricultura no começo desse ano (07/01/2013). Sem grande repercussão na mídia, foi divulgada a presença de resíduos de defensivos agrícolas e contaminantes (microtoxinas e microrganismos patogênicos) presentes em 1.047 amostras de 24 espécies cultivadas na safra 2.011/12. A maioria das amostras estava dentro dos padrões de qualidade. Isto significa que está havendo um monitoramento sistemático de nossa produção e que os alimentos consumidos pelos brasileiros, e os exportados, são saudáveis. É importante que o mundo saiba que os produtores brasileiros estão focados na qualidade e que existe um esforço para seu aprimoramento constante. As instituições de ensino preparam os futuros profissionais para que as boas práticas agrícolas sejam cada vez mais consideradas nos currículos escolares e incorporadas pelos nossos técnicos do agro. A pesquisa e a extensão rural têm priorizado a qualidade. O setor está acompanhando, com preocupação, o embargo da carne bovina brasileira por diversos países, por razões sem consistência técnico-científica. Há pouco tempo tivemos problema com a exportação de suco de laranja, quando foram utilizadas barreiras não-tarifárias para desqualificar nosso produto. É necessário que todo o agro esteja atento para produzir alimentos dentro da expectativa dos consumidores, tanto internos como externos (exportação). O Brasil é visto como a "fazenda do mundo", o país que mais vai contribuir para atender a demanda crescente por alimentos. Mas não basta a quantidade produzida, é essencial qualidade.

Alimento seguro, saudável, é parte da segurança alimentar. O trabalho do Ministério da Agricultura mostrou que arroz, feijão trigo, milho, café, amendoim e castanha do Brasil apresentaram condição muito boa quanto a presença de microtoxinas, que são substâncias prejudiciais produzidas por fungos que podem se desenvolver nestes produtos. Salmonela, microrganismo patogênico que pode causar problemas intestinais, esteve presente em menos de 3 % das amostras de pimenta-do-reino analisadas. Resíduos de cerca de 200 defensivos agrícolas foram procurados em quase 1.000 amostras de alimentos. Nenhuma contaminação foi encontrada em abacaxi, alface, banana, batata, café, feijão, limão, soja e tomate. Número muito reduzido, dentro dos padrões internacionais, foram encontrados em arroz, maçã, mamão, melão e milho. Há necessidade de maior atenção em laranja, manga, morango, pêssego, pimentão, trigo e uva. As inconformidades encontradas podem ser devido à presença de resíduos acima do limite máximo permitido ou de defensivos não registrados/autorizados para a cultura. O trabalho desenvolvido pelo Ministério da Agricultura é rastreável. Os agricultores que produziram alimentos com algum problema são incluídos em Programas de Educação Sanitária, visando prepará-los melhor para que incorporem as boas práticas agrícolas e passem a produzir de acordo com os padrões exigidos.

Este trabalho consistente do Ministério da Agricultura, que já vem sendo desenvolvido há três anos, é uma demonstração clara de atitude transparente, pró-ativa, baseada em ciência e tecnologia, que contribui para o reconhecimento da qualidade da produção vegetal no Brasil. Diversos programas, privados e públicos, de qualidade da produção de alimentos estão em andamento, como a produção integrada, certificações etc. O objetivo é fazer com que os consumidores finais possam adquirir seus alimentos nos supermercados, varejões, feiras etc. despreocupados, confiando que estão levando alimentos saudáveis para suas residências. Alimentos que contribuem para o aumento da longevidade e da qualidade de vida de todos.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Daniel Albiero
01/02/2013 - 07:49
Excelente Artigo Professor Menten!

Daniel Albiero

Robinson Rolim Ressetti
08/02/2013 - 18:12
A Lei 7.802/1989 deixa estabelecido o termo 'agrotóxicos' em substituição a 'defensivos agrícolas', deixando evidente a toxicidade desses produtos para o ser humano e meio ambiente.
E para um alimento ser "saudável", não basta estar com teores de resíduos de agrotóxicos e contaminantes abaixo dos limites máximos permitidos pela legislação em vigor, além de estar isento de substâncias não autorizadas.
É possível estar saciado, mas subnutrido e debilitado.

Para comentar
esta matéria
clique aqui
2 comentários

Conteúdos Relacionados à: Sustentabilidade
Palavras-chave

 
19/07/2018
Produção de feijão-caupi no Estado do Amazonas
Manaus - AM
01/08/2018
16º Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha
Sorriso - MT
25/08/2018
Expointer 2018
Esteio - RS
27/08/2018
XI Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais
São Cristóvão - SE
03/09/2018
XII Congresso da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção
Viçosa - MG
07/09/2018
Simpósio Métodos Rápidos para avaliar qualidade tecnológica e contaminantes em grãos
Londrina - PR
18/09/2018
IV Dia de Campo Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
Passo Fundo - RS

07/08/2018
Curso sobre Fertirrigação
Petrolina - PE
09/08/2018
Adubação orgânica
Manaus - AM

 
 
Palavra-chave
Busca Avançada