dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     27/05/2017            
 
 
    
Nutrição animal    
Embrapa Gado de Leite apresenta novas cultivares de capim-elefante
BRS Kurumi e BRS Capiaçu têm chamado a atenção de produtores de todo país pela elevada produção e ótimo valor nutritivo
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Rubens Neiva, Embrapa Gado de Leite
07/02/2017

Duas cultivares de capim-elefante – BRS Capiaçu e BRS Kurumi – desenvolvidas pela Embrapa Gado de Leite estarão expostas no Show Rural da Coopavel, uma das maiores feiras agropecuárias da América Latina. O evento acontece dos dias seis a dez de fevereiro, em Cascavel – PR e contará com a presença de pesquisadores da instituição, que irão falar sobre o cultivo e as vantagens dessas variedades.

A BRS Capiaçu foi lançada no final de 2016 e três viveiristas estão cadastrados para comercialização. Dados da Embrapa indicam que a produção é de cerca de 50 toneladas de matéria seca por hectare/ano, média 30% maior do que as cultivares disponíveis, além de apresentar maior teor de proteína.

“A cultivar é de porte alto, ultrapassando cinco metros. O resultado é a elevada produção de biomassa, sendo essa a sua melhor característica”, afirma o pesquisador Mirton Morenz. A gramínea é indicada para cultivo de capineiras. No período da seca, pode ser fornecida para os animais picado verde no cocho ou como silagem.

A BRS Capiaçu representa uma alternativa para a produção de silagem de baixo custo. “O que se gasta com a produção de silagem de BRS Capiaçu é três vezes menos comparado à silagem de milho ou de sorgo”, diz o pesquisador Antônio Vander Pereira, que coordenou os trabalhos de desenvolvimento do cultivar. O valor nutritivo é comparável à silagem das forrageiras tradicionais e superior ao da cana-de-açúcar.

Diferente da BRS Capiaçu, a BRS Kurumi apresenta porte baixo e é destinado ao pastejo rotacionado. Os pesquisadores recomendam a entrada dos animais quando o pasto apresentar entre 75 e 80 cm de altura. A retirada dos animais deve ocorrer quando o rebaixamento atingir entre 35 e 40 cm. A taxa de lotação das pastagens varia de quatro a sete animais por hectare. O valor nutritivo também é um dos pontos fortes da BRS Kurumi. Os teores de proteína bruta têm variado entre 18% e 20%.

A propagação da BRS Kurumi, igual à Capiaçu, se dá por meio de estacas e o material já está disponível no mercado. O capim-elefante é uma gramínea perene de origem africana, com grande adaptabilidade às condições brasileiras. O BRS Kurumi é especialmente indicado para os biomas Amazônico, Cerrado e Mata Atlântica.

As duas cultivares foram obtidas por meio do Programa de melhoramento genético de capim-elefante da Embrapa. São o resultado do cruzamento de variedades pertencentes ao Banco Ativo de Germoplasma de Capim-elefante (BAGCE), mantido pela Embrapa. O Programa foi criado em 1991. A primeira cultivar desenvolvida foi o Pioneiro, lançada em 1996. O lançamento BRS Kurumi foi feito em 2012.

Para obter mais informações sobre as cultivares, visite o site da Embrapa Gado de Leite (www.embrapa.br/gado-de-leite) ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) pelos telefones: (32) 3311-7485 e (32) 3311-7486.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Notícia
Palavras-chave

 
29/08/2017
11º Congresso Brasileiro do Algodão
Maceió - AL


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada