dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     01/12/2020            
 
 
    
Agricultura Familiar    
Oliveira pode ser opção para agricultor familiar
Emater avalia comportamento de cinco variedades de oliveira para indicar as mais apropriadas para a região
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Emater PR
18/10/2017

O cultivo de oliveiras vem despertando o interesse de produtores do Paraná. Os 85 hectares cultivados com a planta colocam o estado na terceira posição no país, ficando atrás apenas de Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em Paula Freitas, o produtor Celso Procaylo aceitou o desafio da Extensão Rural e instalou uma unidade de observação com a cultura em sua propriedade. O objetivo é analisar o comportamento de cinco variedades de oliveira e indicar as mais apropriadas para a região.

Neste ano a florada das oliveiras de Paula Freitas foi promissora, mas os extensionistas acreditam que ainda é cedo para estimar a produção nos próximos anos. João Dozorec, que acompanha a unidade, afirmou que as plantas resistiram ao frio e deram uma produção dentro do esperado. “As oliveiras ainda são novas. Sabemos que será preciso esperar uns três anos para saber se as plantas vão produzir bem e como será a qualidade dos frutos. Só depois desse tempo podemos fazer alguma recomendação”, observou o extensionista.

Cirino Correa Jr, da área de plantas potencias, medicinais e aromáticas do Instituto Emater, orienta o trabalho com oliveiras no Paraná, iniciado há oito anos. A extensão rural, em parceria com a Embrapa Pelotas, instalou duas unidades de observação, em Salto do Lontra e São José dos Pinhais, com 19 variedades diferentes de oliveira. A partir dessa experiência, foram selecionados cinco materiais com potencial produtivo para as condições de solo e clima do estado, quatro para a produção de azeite e uma para a produção de azeitonas em conserva. Em 2014 foram criadas doze unidades de observação com oliveiras, espalhadas pelo estado para verificar o comportamento das cinco variedades escolhidas.

“O exemplo de Paula Freitas, onde recentemente fizemos uma prática de poda das oliveiras, mostra que o cultivo é promissor para a região de União da Vitória. Algumas plantas já apresentaram uma boa produção, mas ainda estamos avaliando o comportamento das oliveiras”, ressaltou Cirino. Segundo ele, a demanda pelo cultivo tem aumentado nos últimos anos. “Temos um mercado em potencial, já que o Brasil importa 99% do azeite de oliva consumido no país. A oliveira pode ser uma alternativa de renda para o agricultor familiar. Temos que pensar em fazer a extração do azeite. A ideia é que os produtores se agrupem em cooperativas ou formem empresas para adquirir uma prensa. Assim, eles poderão colocar uma marca de azeite própria no mercado”, informou Cirino. O extensionista acrescentou que as plantas só devem atingir a plena produção a partir de oito ou dez anos depois do plantio.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Fruticultura
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada