dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     29/09/2020            
 
 
    
Forrageiras    
Como estimar o que engorda o boi
Várias metodologias precisam ser aplicadas para estimar o potencial de uma forrageira
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Cacilda Borges do Valle
09/12/2010

O Brasil se destaca como o maior exportador mundial de carne bovina e o segundo maior produtor, atrás apenas dos Estados Unidos, que tem grande parte do seu rebanho alimentado com base em grãos. Já o nosso rebanho é principalmente um “boi de capim”, permanecendo no pasto quase toda sua vida. Então como avaliar o que será melhor e mais eficiente em termos de pastagens para que a produção animal seja sustentável e rentável ao mesmo tempo? Uma variedade de metodologias precisa ser aplicada para estimar o potencial de uma forrageira. Isso por que ela em si não é o alvo direto da avaliação dos agrônomos e zootecnistas. O alvo é o animal, que ao utilizá-la necessita mostrar desempenho. A isso chamamos de avaliação indireta onde o indicativo de uma boa forrageira é o ganho em peso individual ou por área, o ganho em precocidade reprodutiva, ou ainda o aumento em produção de leite.

Então como fazer para estimar o valor nutritivo de uma pastagem? Sabe-se que a qualidade de uma forrageira depende de inúmeros fatores intrínsecos bem como de externos como, por exemplo, o tipo de solo em que é cultivada, o clima e em qual estação do ano concentra seu crescimento, seu tipo de florescimento (se concentrado ou disperso), freqüência de utilização pelos bovinos, e níveis de fertilizante utilizados para repor o que foi removido pelo animal em pastejo. Assim para se determinar o valor nutritivo é necessário conhecer a fenologia da planta, realizar amostragens freqüentes e analisar as amostras com a maior exatidão possível. Tudo isso sem contar com o fator da preferência animal que seleciona com base na arquitetura da planta e volume de folhas.  Podem-se usar as análises químicas tradicionais para estimar o conteúdo de proteína bruta, de fibras em detergente neutro e detergente ácido e mesmo a digestibilidade in vitro que por sua vez simula no laboratório o que ocorre no interior do rúmen. De posse dessa informação é possível comparar forrageiras e predizer aproximadamente qual resultará em melhor desempenho animal. A análise química poderá ser complementada por uma análise física dessa forragem como a que mede a resistência à moagem e ao cisalhamento. Isso porque o animal terá que remover a parte aérea do pasto com dentes e lábios e depois ruminar tal forragem para reduzir o tamanho das partículas a fim de que as bactérias e protozoários do rúmen efetivem a decomposição. Os teores de fibras interferem diretamente nessa decomposição por isso quanto maior a força necessária para moer ou cisalhar a amostra, maior deverá ser o tempo de retenção da forragem no rúmen e isso implica no menor consumo. O animal saciado não volta a consumir pasto até que o rúmen se esvazie.

Ainda outra análise que auxilia na explicação dos resultados de desempenho animal é a análise anatômica dos tecidos da planta, pois dependendo da estrutura dos tecidos e depósito de substâncias menos digestíveis como a lignina, por exemplo, o material demorará mais ou menos tempo no rúmen. Excesso de cutina sobre as folhas, estrutura girder (lignificação de tecidos), espessura do xilema e floema podem determinar uma lenta decomposição reduzindo a taxa de passagem no rúmen. É possível ainda realizar uma análise biológica da forragem na qual se mede a taxa de desaparecimento usando-se sacos de nylon contendo amostras moídas de peso conhecido colocadas dentro do rúmen de animais fístulados. Pode-se ainda usar garrafas de vidro contendo as amostras e simular a digestão in vitro usando líquido ruminal, saliva artificial e soluções tampão em banhos-maria para manter a fermentação anaeróbica como no animal e ainda medir a produção de gases resultante da fermentação. Se realizarmos a amostragem no campo simulando o pastejo, isto é, recolhendo amostras com a mão como se fosse a boca do boi, poderemos ter resultados mais realistas, mas ainda assim não deixam de ser estimativas de consumo e qualidade. Tudo isso para exemplificar o quanto é complicado avaliar forrageiras quando o que se precisa é predizer o desempenho animal. Nem por isso deixa-se de ter sucesso com forrageiras em pastagens desde que sejam seguidas as recomendações de uso e mediante análises criteriosas chega-se bem próximo do que realmente engorda o boi.
 


 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Forrageiras - Artigos já Publicados

Novas forrageiras em discussão
13/06/2012

A Odisséia de um capim - B. decumbens cv. Basilisk
06/02/2012

O III Simpósio Internacional sobre o Melhoramento de Forrageiras
14/12/2011

A geração de cultivares de forrageiras frente a mudanças climáticas
05/10/2011

Boas Práticas Agropecuárias
16/03/2011

BRS Tupi: uma nova cultivar de B. humidicola
19/01/2011

Brachiaria e/ou Urochloa: dando nomes às plantas
09/08/2010

Apomixia e a reprodução nas gramíneas forrageiras
13/05/2010

Pastagens: mitos e realidades
13/04/2010

A pecuária e os gases de efeito estufa
08/03/2010

A escolha da forrageira para a formação de pastagens
04/02/2010

A biotecnologia e as forrageiras tropicais
06/01/2010

O Melhoramento de Pastagens, ontem e hoje
01/12/2009

Conteúdos Relacionados à: Forrageiras
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada