dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     30/11/2021            
 
 
    
Banana    
Nova banana prata é resistente à sigatoka-amarela e ao mal-do-panamá
BRS Platina atende demanda por frutos do tipo prata, em especial onde há a presença do mal-do-panamá, doença que limita produção da cultivar Prata Anã
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Léa Cunha e Marcelo Pimentel
30/10/2012

A resistência à sigatoka-amarela e ao mal-do-panamá, duas das mais importantes doenças das lavouras de banana no País, fazem da BRS Platina uma das principais novidades do setor frutícola nacional. Lançada semana passada durante o XXII Congresso Brasileiro de Fruticultura, a variedade, que é do tipo prata, foi desenvolvida pelo departamento de melhoramento genético da Embrapa Mandioca e Fruticultura, localizada em Cruz das Almas, BA.

A produtividade média do novo material varia de 25 a 30 toneladas por hectare, em condições de sequeiro. Seu manejo é mais rústico e não aceita manejo mais sofisticado.
É recomendada para o Norte de Minas Gerais e Oeste da Bahia.

Segundo o pesquisador Edson Perito Amorim, responsável pelo programa que resultou no novo material de bananeira da Embrapa, a resistência às duas doenças é, justamente, o principal diferencial da nova cultivar, tendo sido a maior preocupação da equipe durante todo o tempo da pesquisa. Sua principal vantagem é a resistência ao mal-do-panamá, fator limitante à produção nos perímetros irrigados

Os frutos da BRS Platina devem ser consumidos com a casca um pouco mais verde

“A BRS Platina vem atender à demanda por frutos do tipo prata, em especial onde há a presença do mal-do-panamá, doença que limita a produção da cultivar Prata Anã”, afirma.

A nova variedade apresenta bom perfilhamento, porte médio e características, tanto de desenvolvimento quanto de rendimento, idênticas às da Prata Anã. Os frutos também parecem com os dessa cultivar em forma, tamanho e sabor, porém devem ser consumidos com a casca um pouco mais verde, à semelhança das variedades do subgrupo Cavendish. Além disso, deve ser colhida de acordo com o mesmo manejo adotado para Cavendish.

Análises sensoriais
A variedade foi testada junto ao público consumidor desde o ano passado. A primeira análise sensorial aconteceu em outubro, durante o Simpósio Internacional ProMusa-ISHS: Bananas e Plátanos, que aconteceu em Salvador, BA.  Foram 200 análises por dia, realizadas tanto no estande da Embrapa e como no Mercado Modelo, um dos pontos turísticos mais famosos da cidade.

“A análise sensorial é uma etapa fundamental na finalização de uma cultivar, uma vez que os frutos são consumidos e avaliados quanto a uma série de parâmetros de qualidade, como sabor e aspecto visual”, explica Amorim.

“O teste de aceitação no ProMusa foi de grande importância. Tratava-se de um público diferenciado, de todo o mundo, que conhecia a cultura da bananeira e tinha interesse em contribuir, dando suas opiniões”, completa Ronielli Reis, pesquisadora do Laboratório de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Embrapa Mandioca e Fruticultura que coordenou as análises com Catie Godoy, da Embrapa Florestas.

Outras análises foram realizadas em fevereiro de 2012, no Show Rural Coopavel, em Londrina (PR), e em junho, na Feira Internacional da Fruticultura Tropical Irrigada – Expofruit, em Mossoró (RN). Os resultados obtidos foram muito positivos e indicam elevada aceitação dos consumidores pelos frutos da ‘BRS Platina’.

A variedade foi desenvolvida em parceria com a Unidade Regional Norte de Minas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig (Nova Porteirinha, MG) e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (Guanambi, BA).

Iniciado em 1976 com a criação do banco ativo de germoplasma, o programa de melhoramento genético da bananeira liderado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura recomendou, em 1985, as duas principais cultivares utilizadas pelos agricultores brasileiros – Prata Anã e Pacovan. Outras dez cultivares com resistência a doenças e boas características agronômicas foram desenvolvidas até hoje. 

Para mais informações, visite o site da Embrapa Mandioca e Fruticultura: www.cnpmf.embrapa.br.
 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
everaldo pereira
31/10/2012 12:52:11
excelente trabalho. onde conseguir mudas aqui na bahia, zona do reconcavo
bahiano.

.
responder para 1950ep@gmail.com.

obrigao.

João Oliveira
28/01/2013 16:22:19
CUIDADO COM ESSA VARIEDADE, POIS DESPENCA TUDO LOGO QUANDO COMEÇA A AMADURECER.

Para comentar
esta matéria
clique aqui
2 comentários

Conteúdos Relacionados à: Fruticultura
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada