dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     09/08/2022            
 
 
    
   
Epidemias de begomovirus em tomate e feijão preocupam pesquisadores
Aumento de incidência da praga prejudica produção nacional e suscita criação de rede de pesquisas de estratégias de controle
Ouça a entrevista Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Pedro Zuazo
12/08/2010

Begomovírus são um grupo de vírus transmitidos pela mosca branca que assolam lavouras de todas as culturas no mundo todo. No Brasil, entretanto, os begomovírus são de um tipo especial, que só existe aqui e cujo relato não tem nenhuma ocorrência parecida no exterior. Nas lavouras nacionais, os begomovírus já provocam graves epidemias em tomateiros e feijoeiros. Para evitar o agravamento do problema e minimizar as perdas já causadas, a Embrapa, em parceria com universidades nacionais, criou uma rede de pesquisas que buscará estratégias de combate ou prevenção ao ataque desses vírus.

O que motivou a criação da rede foi o recente e preocupante aumento do número de casos de begomovirus em lavouras de tomate e feijão, que é associado à dificuldade de controle da mosca branca. De acordo com Alice Nagata, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, é importante ficar atento para que a praga não cause epidemias em outras culturas. Para isso, a primeira etapa do trabalho será um levantamento da ocorrência dos begomovirus no País.

— Vamos fazer um levantamento das espécies que existem no Brasil e definir em que plantas eles ocorrem e se eles estão ocorrendo em uma área restrita ou distribuídos em todo o território nacional. Selecionamos algumas culturas que são mais atacadas pela praga para estudar também o comportamento da mosca branca e desenvolver estratégias de controle. Estamos trabalhando com hortaliças, mandioca, algodão, plantas de soja e plantas daninhas, que são as principais plantas propagadoras do vírus quando a planta principal não está presente. O objetivo é elaborar estratégias para eliminar essas plantas do campo — explica.

O trabalho também vai contemplar as culturas nas quais a ocorrência de begomovírus não foi relatada, mas que sofrem epidemias sérias em outros países. O objetivo é saber se os vírus ocorrem no Brasil e aumentar a fiscalização no transporte de materiais vindos do exterior, que podem ser uma porta de entrada para o vírus.

O projeto tem duração de três anos, mas a intenção é estender esse prazo de acordo com os resultados do trabalho. Para as culturas onde o vírus foi detectado, serão desenvolvidas novas atividades de monitoramento e estratégias de controle e para as culturas onde os begomovirus não foram detectados serão realizadas novas amostras, com frequência menor, para garantir que os vírus não ataquem novas culturas no território nacional.

Clique aqui, ouça a íntegra da entrevista concedida com exclusividade ao Jornal Dia de Campo e saiba mais detalhes da tecnologia.
Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Manejo
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada