dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     10/12/2019            
 
 
    
Agroenergia      
O desafio da cana-de-açúcar
Estudo da Esalq projeta necessidade de investimentos na produtividade para evitar expansão de terras ocupadas pela cultura canavieira
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Caio Albuquerque, USP/Esalq
19/05/2016

Para atender a demanda mundial, é possível saber quanto teremos que produzir de cana-de-açúcar em 2024? No setor sucroalcooleiro existe o impasse para onde projetar seus investimentos: mais terra ocupada ou mais produtividade? Em qual medida?

Um estudo desenvolvido na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/Esalq) em parceria com a Embrapa e a Universidade de Nebraska avaliou a eficiência agrícola da cana no Brasil afim de determinar o grau de crescimento da produção canavieira sem a necessidade de dispor de mais terras. O autor da pesquisa é o professor Fabio Marin, do Departamento de Engenharia de Biossistemas, que publicou o estudo na edição de fevereiro de 2016 da BioScience, da Universidade de Oxford “ O artigo traça cenários para a produção de cana-de-açúcar considerando a demanda projetada para 2024, contatando a necessidade de forte expansão na área cultivada com cana no Brasil”, aponta Marin.

Segundo a pesquisa, o rendimento médio nacional atual é de 62% do potencial de produção estimado para condições de sequeiro, ou seja, existe uma oportunidade de incremento de 38%. “O desafio é aumentar a produtividade da cana existente dadas as preocupações sobre a conversão de pastagens e floresta para cortar a produção e a crescente demanda mundial de etanol de cana”. A projeção indicada pelo estudo tenta encontrar o nível em que a taxa de ganho de rendimento deverá ser acelerada considerando a trajetória de rendimento das duas últimas décadas, para que se obtenha, em 2024, uma maior produção de cana sem a expansão da área de produção. “Considerando a taxa histórica de ganho de rendimento, não será suficiente para atender a demanda projetada sem uma expansão de área de 5% a 45% para cenários de baixa e alta demanda, respectivamente”, explica Marin.

No entanto, se fosse possível resolver as limitações que impedem e prejudicam o rendimento e atingirmos uma produtividade de 80% do nosso potencial, atenderemos a demanda de cana em um futuro próximo, com uma redução de 18% na área de cana para o cenário de baixa demanda ou uma expansão de 13% para o cenário de alta demanda. “É possível, mas esse cenário exige uma grande aceleração na taxa rendimento em comparação com a tendência histórica, o que seria difícil de conseguir sem esforços de financiamento concentrado nessa problemática”. Em contrapartida, alerta o docente, “se continuarmos a aumentar os rendimentos seguindo a trajetória histórica das últimas duas décadas, será necessário expandir entre 5% e 45% a área de cana para satisfazer os cenários de baixa e de alta demanda até 2024”.

Como indicativo, o estudo aponta a necessidade de focar os esforços de pesquisa na aceleração do ritmo de ganho de produtividade para minimizar a demanda por terras. “Os resultados deste estudo podem ajudar a fomentar as políticas e a priorização de investimentos em pesquisa e desenvolvimento para atender à demanda de cana e, ao mesmo tempo, considerar as preocupações ambientais associadas”, finaliza Marin.

O estudo teve apoio do Water for Food Institute (University of Nebraska–Lincoln), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
LEANDRO FLÁVIO CARNEIRO
20/07/2016 - 18:18
Prezado Caio,

Estou escrevendo um projeto de cana-de-açúcar e gostaria de ler o artigo mencionado do professor Fábio Marin, publicado na BioScience em 02/2016.
Entrei na revista e, infelizmente, não consegui encontrar o artigo.
Caso seja possível, gostaria que me enviasse o artigo.
Desde agradeço.

LEANDRO FLÁVIO CARNEIRO
20/07/2016 - 18:22
Prezado Caio,

Esqueci de inserir o meu e-mail na mensagem.
leoflacar@yahoo.com.br

Desde já agradeço

Para comentar
esta matéria
clique aqui
2 comentários

Conteúdos Relacionados à: Canavicultura
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada