dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     01/10/2020            
 
 
    
Controle Biológico      
Vespas combatem pragas e conquistam produtores
Empresa especializada cresceu 600% em área e em vendas, muito acima da taxa de crescimento do setor de controle biológico, que registrou taxa de 25% a 30%
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Agência FAPESP
20/07/2016

No final de 2011, a empresa Bug Agentes Biológicos, com sede em Piracicaba, interior de São Paulo, foi incluída no ranking da Fast Company – revista norte-americana de tecnologia – como uma das 50 companhias mais inovadoras do mundo, ao lado de grandes nomes como Apple, Facebook e Google, e a mais inovadora do Brasil, à frente da Embraer e da Petrobras.

A empresa, de controle biológico, se destacou por ter desenvolvido e comercializado, em apenas dois anos, um método eficiente para multiplicar a vespa do gênero Trichogramma, que ataca uma praga comum nos canaviais e nas plantações de soja.

“Na época, a nossa principal ferramenta de divulgação eram palestras, numa média de duas por ano. Esse número saltou para 70. Atendíamos clientes com um total de 18 mil hectares de soja e passamos a atender o equivalente a 800 mil hectares. O crescimento foi ainda maior no setor sucroalcooleiro: saltamos de três usinas para 100”, conta Alexandre de Sene Pinto, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Bug e atualmente sócio da empresa.

“Desde então a Bug cresceu 600% em área e em vendas, muito acima da taxa de crescimento do setor de controle biológico, que registrou taxa de 25% a 30%”, conta Pinto. Ele atribui esse desempenho à visibilidade que a premiação conferiu à empresa e à sua grande repercussão na imprensa nacional. “No nosso caso, além da qualidade do produto, a comunicação e divulgação foram fundamentais para a consolidação da empresa.”

A empresa foi criada em 2001 por estudantes de pós-graduação da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP). A partir de 2005, contou com o apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), da FAPESP, para o desenvolvimento do Trichogramma galloi e dos parasitoides de ovos Trissolcus basalis e Telonomus podisi para o controle de percevejo da soja, produto que será lançado em 2016, depois de registrado no Ministério da Agricultura, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A visibilidade oferecida pela premiação e a repercussão na mídia também projetaram a empresa no mercado internacional: em 2014 a Bug passou a integrar o grupo de 36 startups consideradas “pioneiras em tecnologia” pelo Fórum Econômico Mundial. A indicação, a primeira para uma empresa latino-americana, conferiu à Bug a condição de interlocutora do Fórum até 2018. “Participamos de cinco reuniões anuais do G-8, quatro virtuais e uma presencial, oferecendo ao Fórum contribuições em nossa área de atuação”, afirma Pinto.

A visibilidade e o desempenho inovador atraíram parceiros de peso. Em 2008 a empresa recebeu do Criatec, fundo de capital semente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), aporte de R$ 1,5 milhão em troca de 20% de participação acionária. A Bug então passou a crescer e o desempenho chamou a atenção do fundo Triguer, que realizou um novo aporte de RS 1,5 milhão. Em 2014, a empresa recebeu um terceiro investimento do Fundo Rosag. Hoje, a Bug tem como sócia a Porto Seguro Seguradora.

A empresa produz, atualmente, quatro tipos de vespas que combatem pragas da cana, soja, melão, milho – entre outras culturas – e tem clientes em todo o Brasil, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Apesar da visibilidade internacional, o crescimento acelerado do mercado nacional ainda não permitiu que a empresa exportasse. As duas unidades de produção – uma em Piracicaba e outra em Charqueada, com 32 mil metros quadrados, sendo 8 mil metros quadrados de área construída – “não dão conta da produção”, diz Pinto.

Vídeo sobre tecnologia desenvolvida pela Bug

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Controle biológico
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada