dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     09/07/2020            
 
 
    
Genética Vegetal      
Algodão resistente a herbicida será apresentado no CE
Variedade pode ser cultivada com menor exigência de equipamentos para controle de plantas daninhas
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Verônica Freire, Embrapa Agroindústria Tropical
17/07/2017

As vantagens da cultivar de algodão BRS 368 RF serão apresentadas em dois dias de campo nos municípios de Iguatu e Quixeramobim (CE) nos dias 18 e 19 de julho. A ação é promovida pela Embrapa, Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Ematerce e Instituto Agropolos.

O pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical, Raimundo Braga, explica que a variedade tolera o herbicida Glifosato e, por isso, pode ser cultivada com menor exigência de equipamentos para controle de plantas daninhas.

Os dias de campo fazem parte de um conjunto de ações para revitalização da cotonicultura no Ceará. Uma das principais iniciativas foi a instalação de sete unidades demonstrativas de tecnologias nos municípios de Iguatu, Acopiara, Senador Pompeu, Quixeramobim, Quixadá e Choró.

O consultor da SDA Vinícius Assunção defende que com a adoção de tecnologias disponíveis é possível fortalecer a cultura no Ceará. Ele lembra que o estado detém o segundo maior parque têxtil do País, mas que é abastecido de matéria-prima proveniente de outros estados, principalmente Bahia e Mato Grosso, a elevados custos de logística.

Apoiam a iniciativa a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Saiba mais: desenvolvida pela Embrapa Algodão e parceiros, a BRS 368 RF é um cultivar transgênica resistente ao herbicida glifosato, com rendimento de fibra de 40% e potencial produtivo entre 4.200 a 4.500 kg/ha, indicada para cultivo em primeira safra (sequeiro) nos estados do MS, MT, GO e BA e segunda safra (irrigado) no Estado da BA. Cultivar de porte baixo e ciclo de médio a precoce, com abertura da primeira flor aos 55 dias e ciclo total de 165 a 170 dias. Por ser resistente ao glifosato, oferece maior flexibilidade no controle de plantas daninhas, permitindo a aplicação em qualquer fase do desenvolvimento da cultura sem necessidade de utilização de pulverizações com herbicidas não seletivos em jato dirigido. Resistente ao mosaico comum e bacteriose do algodoeiro e moderadamente resistente a doença azul.

Serviço
Dia de Campo Algodão


Iguatu: Localidade Barra Um
Dia 18/07/2017
Horário: 8h

Quixeramobim
Dia 19/07/2017
Horário: 8h
Local: Fazenda Laje

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Cotonicultura
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada