dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     27/02/2017            
 
 
    

Para uma correta classificação de grãos muitos passos devem ser seguidos, entretanto considero a amostragem a tarefa mais importante. De nada adianta termos classificadores qualificados e excelentes equipamentos se a amostra final não representa com precisão o total da carga a ser avaliada.

Para a amostragem são utilizados, na maioria das vezes, os amostradores manuais (tipo caladores), que são dois tubos metálicos girando um dentro do outro, com gavetas (janelas) que se abrem e permitem a entrada dos grãos em seu interior. Sempre são pontiagudos para facilitar a penetração na massa de grãos e possuem cabo giratório com a finalidade de abrir e fechar as janelas.

"qualquer dano lateral pode impedir o giro dos tubos"

 Fernando Engelbrecht

Durante muitos anos o material padrão utilizado foi o latão e há algum tempo muitos têm sido fabricados em aço. O volume das cargas, bem como o número de pontos a amostrar nas gigantescas carretas utilizadas hoje em dia, fizeram os amostradores aumentarem significativamente em comprimento. Ainda, a necessidade de se retirar subamostras desde a parte mais baixa da carga até a mais alta fez com que os mesmos passassem a ter maior número de gavetas.

Os primeiros amostradores existentes possuíam cerca de 1,70 metro de comprimento total, com 10 aberturas laterais, porém hoje chegam a ter mais de 2,10 metros com 14 aberturas. Essa necessidade fez com que o peso dos amostradores ficasse muito elevado, comprometendo a qualidade e o rendimento da operação. Também, o maior número de gavetas veio a dificultar o giro dos tubos, pois os grãos e as impurezas formam um obstáculo natural.

Para manter a qualidade da amostragem a Gehaka desenvolveu amostradores em duralumínio, o mesmo material utilizado em aeronaves. As principais características desses novos produtos são: o próprio material, duralumínio, o mais leve da categoria, proporciona conforto e menor risco de lesões repetitivas (LER) para o operador e garante resistência mecânica e flexibilidade aumentando a durabilidade do calador; as gavetas com corte em tesoura oferecem maior durabilidade e menor esforço no material, pois este é distribuído progressivamente de uma gaveta para a outra; o sistema de corte a laser oferece precisão milesimal com menor estresse para o tubo.

Nova geração de caladores
à base de alumínio

 

Concluindo, a coleta progressiva (em formato de hélice) ou em três estágios garante que a amostra seja coletada do fundo para o topo da carreta, sendo o mais representativa possível para uma classificação perfeita. Com relação aos itens de segurança, a ponteira recebeu um dispositivo que evita sua perda na massa de grãos, pois afinal, seria desastroso encontrar metal no meio dos alimentos, além da cruzeta com pega ergonômica.

Os amostradores são disponibilizados em dois tamanhos: 1,80 metro e 2,10 metros, com 12 e 14 gavetas, respectivamente e dois sistemas de fechamento, três estágios ou progressivo. Quanto aos cuidados diretos com a peça, recomendamos, em função de suas dimensões avantajadas, que se evite envergar o tubo, procurando fazer o esforço no sentido do mesmo para baixo, mesmo que a carga esteja compactada. As aberturas laterais fazem com que a resistência do material seja comprometida, sendo o material latão, aço ou duralumínio. Evitar quedas e batidas laterais também podem aumentar muito a durabilidade dos amostradores, uma vez que qualquer dano lateral pode impedir o giro dos tubos.

Finalmente, quando não estiver sendo utilizado, os tubos deverão ser separados e isso pode ser realizado sacando o interno, limpos com um pano seco e, depois de montados novamente, devem ser pendurados em ganchos fixos evitando que fiquem apoiados de forma inclinada ou no chão.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
André
07/02/2012 - 12:37
Muito interessante a sua matÚria, sou classificador hß 7 anos (soja,milho,trigo) e percebo que a nossa categoria Ú muito pouco lembrada e valorizada no mundo do agroneg¾cio...

carlos eduardo juliano
06/04/2014 - 22:01
deveria ter uma diferenciaçao entre classificadore,pois muitos nao levam a sério a calagem da carga a ser analizada.
e apostam na sorte,sou classificador a 12 anos.todos os dias aprendendo e subindo nos caminhoes por melhor que esteje o produto,faço FOB.

Pietro
14/11/2014 - 14:36
Quando foi publicado este artigo?

Equipe Portal Dia de Campo
14/11/2014 - 15:11
Prezado Pietro,
O artigo foi publicado em 23/11/2009

Saudações,

Equipe Portal Dia de Campo

carlos amaro
11/10/2015 - 15:03
sou classificador a 25 anos
estou no ramo até hoje

morei 10 anos em cuiabá e fazia todo esse nortão;gostava demais,só que demora demais para voltar para casa
podia contar o mês
mas trabalho é assim mesmo
muito embarque

Para comentar
esta matéria
clique aqui
5 comentários

Armazenagem - Artigos já Publicados

Cycloar
Mais qualidade na armazenagem de grãos
20/09/2010

Gehaka
Agricultura de precisão, do campo ao armazém
21/10/2009

Conteúdos Relacionados à: Grãos
Palavras-chave

 
06/03/2017
Expodireto Cotrijal 2017
Não-me-Toque - RS
06/04/2017
IV Encontro Nacional da Soja
Londrina - PR
18/04/2017
IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar Animal
Porto Alegre - RS
01/05/2017
Agrishow 2017
Ribeirão Preto - SP
29/08/2017
11º Congresso Brasileiro do Algodão
Maceió - AL


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada