dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     23/10/2020            
 
 
    
Genética Vegetal      
91% da cevada plantada no Brasil são cultivares BRS
A produção nacional de 300 mil toneladas/ano de cevada atende apenas 43% da necessidade da indústria brasileira para produção de malte
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Gustavo Porpino e Joseani Antunes, Embrapa
07/06/2016

No Brasil, 91% da cevada plantada é de cultivares BRS, sigla que identifica materiais provenientes do programa de melhoramento genético liderado pela Embrapa. Nas lavouras irrigadas paulistas, 100% das plantações são formadas por cultivares nacionais. A produção nacional de 300 mil toneladas/ano de cevada atende apenas 43% da necessidade da indústria brasileira para produção de malte. Para suprir a demanda da indústria cervejeira nacional, ainda são importadas anualmente 400 mil toneladas de cevada para completar a produção industrial de 1,3 milhão de toneladas de malte.

Impulsionados por mudanças de hábitos de consumo, produtos derivados da cevada estão em alta no varejo. O Brasil já conta com 5.254 produtos de cervejarias registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), distribuídos em cerca de 80 tipos diferentes de cerveja. Entre 8 de abril e 17 de maio deste ano, o número de cervejarias registradas no Mapa passou de 320 para 397. O crescimento se deve à abertura do mercado para novas tendências, principalmente as cervejas artesanais. "A pesquisa precisa sempre estar atenta à evolução do mercado e das demandas para o produto que trabalha", salienta o pesquisador Euclydes Minella, da Embrapa Trigo (RS).

Para atender tanto as necessidades dos produtores quanto o padrão de qualidade da indústria, o programa de melhoramento genético de cevada cervejeira, iniciado em 1977 pela Embrapa Trigo, atua fortemente por meio de parcerias. "A parceria informal até meados de 1990, e formal desde então, proporciona a garantia de que só se destinam para a lavoura cultivares de fato competitivas em rendimento e qualidade, satisfazendo o interesse de produtor e indústria", comenta Minella. Atualmente as maiores áreas são cultivadas com as cultivares BRS Brau, BRS Elis e BRS Cauê.

Integração com o mercado
O diferencial do programa de pesquisa da cevada é a integração entre produtores, maltaria e indústria de bebidas por meio de programas de fomento, assistência técnica e compra garantida do produto mediante contrato firmado entre empresas e produtores, seja individualmente ou representados por cooperativas ou associações. "A principal vantagem deste sistema está na fixação de preço antes do cultivo e na ‘liquidez' de mercado, dando ao produtor condições de planejar seus investimentos na produção", destaca a pesquisadora Cláudia De Mori, da Embrapa Pecuária Sudeste (SP), que participou da análise econômica do complexo agroindustrial da cevada. Outra importante vantagem é a liberação antecipada de área para os cultivos de verão pela precocidade de seu ciclo e a deposição de palhada de excelente qualidade para manejo de ervas daninhas e cobertura de solo.
 
A organização da cadeia, possibilitada pelo trabalho integrado, favorece também o atendimento às mudanças nos hábitos de consumo de cerveja. As novas tendências de consumo, como a busca por cervejas artesanais, e incremento do consumo em casa em substituição a ida ao bar ou restaurante, têm expandido a oferta de produtos derivados de cevada nos supermercados. E para que o consumidor saboreie uma cerveja de qualidade, os esforços começam ainda nas bancadas dos laboratórios dos pesquisadores.

O apoio tecnológico à produção é suprido, principalmente, pela Embrapa em convênio com as maltarias. "A Embrapa acompanha esse movimento procurando entender as demandas em termos de qualidade do malte, e por consequência, da cevada", comenta Minella.

Dependência da cevada importada
"O Brasil é grande consumidor e importador de malte [cereal germinado seco] e cevada apenas para atender a indústria cervejeira, havendo, portanto, grandes oportunidades para o aumento da capacidade de malteação e da produção de cevada", salienta Minella. Para o especialista, a competitividade proporcionada pela genética desenvolvida pela Embrapa tem contribuído para a sustentabilidade da cadeia.

Cultivares de cevada
"As cultivares BRS Itanema, BRS Korbel e BRS Quaranta deverão substituir com vantagens as atualmente em cultivo", comenta Minella. A BRS Itanema já está sendo produzida comercialmente. As demais estão em fase de validação da qualidade de malte ao nível de indústria e de multiplicação de sementes.

A ampliação da área plantada com cultivares BRS contribuiu para o aumento de produtividade na cultura da cevada. Em 1985, por exemplo, quando ainda não havia cultivos com genética Embrapa, a produtividade média foi de 1.671 kg/ha. Dez anos depois, as cultivares BRS ocupavam 46% da área cultivada com cevada no Brasil e a produtividade média saltou para 2.526 kg/ha. A perda de produtividade em 2015, 30% inferior à média dos últimos dez anos, se deve a influências climáticas. "A safra de 2015 foi produzida sob o efeito climático do El Niño associado ao excesso de chuvas na fase de maturação e colheita", explica Minella. Para 2016, a Conab prevê uma produtividade nacional média de 3.300 kg/ha e as cultivares BRS devem superar 91% da área plantada.

http://www.diadecampo.com.br/arquivos/image_bank/especiais/cevada_DENTRO_2016671266.jpg

Paixão nacional
A cerveja já foi apontada, por pesquisa do Ibope em 2013, como a bebida preferida de 64% dos brasileiros para comemorar os bons momentos. Em volume de consumo total, o Brasil é o terceiro maior mercado para cerveja no mundo. Enquanto China e EUA permanecem como os países com maior volume de vendas, o Brasil registrou crescimento de 5% de 2013 para 2014, segundo levantamento da Kirin Beer University. Quando analisado o consumo per capita de cerveja, o Brasil registra 68,3 litros por ano, o que posiciona o País em 26º no ranking global. O faturamento anual do setor cervejeiro nacional é estimado em R$70 bilhões pela Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil).

 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Cultura de inverno
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada