dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     29/10/2020            
 
 
    
Nutrição Vegetal      
Fertilizante na medida certa
Determinar corretamente a demanda nutricional do trigo pode se traduzir em melhor rendimento com menor custo
Comente esta notícia Envie a um amigo Aponte Erros Imprimir  
Joseani M. Antunes, Embrapa Trigo
11/10/2016

Os fertilizantes têm a maior participação nos custos de produção no trigo, representando aproximadamente 25% do investimento na lavoura. Mesmo assim, o uso de adubação nitrogenada cresceu progressivamente na última década. Orientar para boas práticas no uso eficiente de fertilizantes na cultura do trigo é o objetivo do artigo publicado pelos pesquisadores da Embrapa Trigo no último boletim do Internacional Plant Nutrition Institute (IPNI Brasil).

O uso de corretivos e fertilizantes responde por grande parte dos custos de produção do trigo, por outro lado esses insumos também são responsáveis pelo incremento na produtividade e podem impactar até na qualidade dos grãos. A ureia tem sido o principal fertilizante utilizado no trigo devido ao menor custo por unidade de nutriente dentre os adubos nitrogenados disponíveis no mercado.

O acompanhamento das lavouras de trigo no Paraná durante mais de uma década (Emater/PR e Embrapa) mostrou aumento na adubação da cultura. Na semeadura foram utilizadas adubos formulados contendo N, P2O2 e K2O em 9,8% da área de trigo no Paraná em 2002; subiu para 37,5% da área em 2012; e em 2014 esses fertilizantes na semeadura foram aplicados em 41,9% das lavouras. Já a adubação nitrogenada de cobertura foi realizada em 56,4% das lavouras em 2000; subiu para 85,2% em 2012; e foi registada em 74,8% das lavouras de trigo em 2014.

Além da ampliação da prática no uso de fertilizantes, os dados apontam o aumento da dose aplicada, sendo que doses acima de 100 kg/ha de ureia (Nitrogênio) foram utilizadas em 50% da área de trigo monitorada na safra 2014. "O produtor sabe que a disponibilidade de N é o principal fator determinante do rendimento do trigo, mas nem sempre aumentar a dose significa maior rendimento de grãos" alerta o pesquisador da Embrapa Trigo Fabiano De Bona.

Mas qual o limite de fertilizante para o melhor retorno econômico?
A Embrapa Trigo avaliou a máxima eficiência econômica de cultivares semeadas em 32 experimentos, conduzidos durante dez anos (1990 a 2000) no Rio Grande do Sul. O melhor resultado foi alcançado com 83 kg/ha de N, o que produziu 3.410 kg/ha no rendimento de grãos.

A quantidade de N recomendada pela pesquisa é de 60 a 120kg/ha, aplicando de 15 a 20kg/ha na semeadura e o restante em cobertura (perfilhamento e alongamento do colmo das plantas). A aplicação de N no espigamento não aumenta o rendimento de grãos, mas pode favorecer a concentração de proteínas. De modo geral, a dose na adubação nitrogenada varia em função do teor de matéria orgânica, da cultura precedente, da região e da expectativa de rendimento.

"A aplicação de N ao solo no cultivo do trigo é uma das práticas de manejo mais seguras em relação ao retorno econômico. As pesquisas têm demonstrado que a eficiência de uso do N oscila entre 12 a 21 quilos de grãos para cada quilo de N adicionado", conclui De Bona. Segundo ele, além dos fertilizantes, o triticultor também não pode esquecer dos cuidados com o solo corrigindo deficiências de nutrientes, adequando características químicas e físicas antes da implantação da lavoura.

O artigo "Manejo Nutricional da Cultura do Trigo", de autoria dos pesquisadores Fabiano De Bona, Sirio Wietholter (Embrapa Trigo) e Cláudia De Mori (Embrapa Pecuária Sudeste) está no Jornal Informações Agronômicas, edição número 154, disponível no site do IPNI.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Fertilidade
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada